Minha utopia


Eu sonho com um mundo em que os homem são reconhecidos pelo que são e não pelo que aparentam ser.

Sonho com um mundo onde o homem luta contra si mesmo e não contra o seu próximo.

Um mundo em que ninguém está preocupado com a próxima eleição. De fato, independente de quem ganhar, os meus direitos mais básicos serão respeitados, assim como o de todos os outros cidadãos da sociedade.

Neste mundo a palavra-chave é a cooperação: para que uma pessoa faça algo ela necessariamente deve contar com uma cadeia muito grande de pessoas que igualmente agem. Tudo isso gera riqueza e esta é diversificada na sociedade.

Todos os bens, propriedades e serviços adquiridos, o são através de trocas voluntárias. A propriedade é respeitada em toda parte. Não há coisa ou lugar que não tenha um dono e, portanto, um responsável.

As instituições de apoio social são geridas por pessoas honestas, em geral religiosos, pessoas respeitadas na sociedade e que garantem o apoio aos que mais necessitam, quando necessitam. Toda a sociedade apoia estas instituições com recursos humanos e materiais, pois todos sabem que o estado de necessidade é temporário naquele que não é indolente.

Mesmo assim, todos são muito previdentes, porque sabem que a sociedade não existe para suprir suas falhas morais, antes para lhe eduacar. Assim, não gastam tudo o que ganham. Nem trabalhadores, nem empresas.

Portanto, as pessoas são mais propensas à poupança e somente compram aquilo que realmente tem necessidade, precavendo-se de um futuro incerto. Não obstante, há inúmeros bens e serviços disponíveis, a preços muito baixos, o que os torna acessíveis a praticamente todo mundo, de sorte que a fome e a miséria não são vistos em nenhum lugar.

Como todos são livres para fazer o que desejam fazer e como há sempre coisas para fazer aos outros, tampouco há falta de trabalho.

A natureza é respeitada e cuidada, porque todos tem a consciência de que é dela que tiramos os recursos necessários ao progresso. Como tudo tem um dono e um responsável, as terras, os ocenos, as florestas são cuidadas com esmero pelos seus donos a fim de que elas continuem futificando. Como o lixo de uns é a materia prima de outros, efetivamente o homem está em equilíbrio com a natureza.

O lucro está presente em quase todas as transações, todavia, não há uma busca insana pelo lucro, pois todos compreendem que ele é apenas uma forma de medir o que a sociedade deseja e o que ela não quer. De fato, como não há amarras sobre o pensamento e ação, produtos novos são rapidamente copiados, de forma que, no longo prazo, os lucros são drasticamente reduzidos, forçando a todos a continuar inventando e revinventando.

As fronteiras estão abertas. Todos podem ir e vir de um país a outro, comprar e vender em todos os lugares. Todos percebem que é melhor ter as fronteiras abertas, que faz com que pessoas e produtos as cruzem com facilidade do que as mesmas serem cruzadas com exércitos.

A guerra é coisa do passado. Se aparece em algum lugar algum conflito, as nações do mundo rapidamente se afastam do território em conflito, porque não é de seu interesse. Como a própria população do local tende a ir embora, no caso de conflito, e o isolamento natural que os conflitantes se veem, força uma retomada das trocas voluntárias em pouco tempo.

As famílias são o núcleo mais forte da sociedade. É nelas em que há a formação dos valores individuais. Os valores Cristãos não somente são ensinados, são cultivados por todos: a crença em Deus, a necessidade do respouso, a liberdade, o respeito à propriedade, a caridade para com o próximo.

Contudo, há famílias de todos os jeitos: grandes e pequenas, multiculturais e uniculturais, com pais homoafetivos ou heteroafetivos, com filhos consanguíneos ou não.

As pessoas são vistas pelo que fazem na sociedade e não pela cor da pele, crença ou sexo.

Todos tem um profundo senso de que a vida em sociedade é uma vida de trocas. Se sou servido aqui, ali sou servo.

Os conflitos são quase sempre resolvidos em acordos e quando não o são, árbitros e juízes decidem as causas sempre levando em consideração os direitos naturais e não os privilégios de qualquer natureza que as pessoas costumam titular sobre si mesmas.

Dentre os direitos naturais, o direito à vida é o mais básico, então a vida é preservada por todos, da barriga da mãe às mais tardias idades, pois todos sabem a necessidade de preservar esse dom.

Os criminosos são punidos visando-se a reparação, pois se sabe que o melhor caminho da regeneração e reeducação e a reparação do erro e o trabalho. Não obstante, penas severas são aplicados aos crimes considerados mais ediondos, como o assassinato. Nestes casos, o indivíduo perde o direito à sua liberdade e passa a servir à sociedade, num esforço desta de recuperar àquele.

Reconhecendo que ideias não são um bem escasso, a ciência se livra das amarras dos sentimentos mesquinhos de dominação, então a cooperação internacional faz com que tecnologias que pareciam mágica se tornem corriqueiras. Dominando as propriedades íntimas da matéria, a ciência permite a vida mais fácil, mais produtiva e mais longeva. De fato a ciência busca agora adentrar na espiritualidade.

Eu sonho com o mundo de amanhã, mas bem que poderíamos construí-lo hoje!

Comentários

Anônimo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Postagens mais visitadas deste blog

Pode haver espíritas comunistas?

Libertarianismo e Espiritismo

Frase: "O mundo espiritual é formado de antimatéria".