Pode haver espíritas comunistas?

Respondendo a mim mesmo a reflexão que propus ainda em fevereiro deste ano e após estudar alguns textos sobre Marx e o comunismo, a resposta que chego é que não é possível ter-se espíritas comunistas.

Apesar de vários espíritas se intitularem comunistas (e acreditarem na causa comunista), a minha reflexão é baseada na lógica sobre os princípios básicos da D.E. em contraponto com os princípios básicos do comunismo.

Primeiro, o comunismo se baseia na coletividade. O pensamento e as ações são todas dentro de um arranjo da coletividade. Os seres são tratados sempre como fazendo parte da coletividade e o seu comportamento é o comportamento do coletivo. O Espiritismo, ao contrário, é individualista. Para a D.E., o indivíduo é o responsável pela sua evolução (a qual ocorre em contato com o semelhante), da mesma forma é nele que recai a lei de causa e efeito (a despeito das chamadas provações coletivas). Seu comportamento é único e cada qual tem a sua parcela e ação e responsabilidade, que sempre individual (a despeito de viver em sociedade). O pensamento espírita é, pois eminentemente individualista.

O segundo ponto é sobre a propriedade. No comunismo não há efetivamente a propriedade do que quer que seja, em especial dos meios de produção, pois tudo é do coletivo, da comuna. A D.E. é defensora da propriedade. Como individualista, é claro que o espiritismo não somente defende a propriedade como a coloca como um direito básico do homem, independente de Deus poder lhe tirar a propriedade quando for de interesse para a sua evolução. A propósito, não existe algo como "propriedade coletiva", pois propriedade é sempre privada.

Outro ponto é a questão religiosa. Para o comunista, a religião é como um "ópio do povo", pois é parte da geração e manutenção do status quo social, evitando-se a liberação do indivíduo das amarras da classe exploradora, portanto não deveria existir. De fato, os países que tentaram o comunismo proibiram todas as religiões. Já a D.E. é por si uma religião.

Por último, e o ponto fundamental, é quanto aos objetivos. O objetivo do comunismo é a geração de uma nova sociedade e um novo homem, a despeito que os velhos homens e a velha sociedade pereçam na revolução. Já o espiritismo crê na regeneração do homem e propõe o novo homem a partir da transformação moral do homem velho, através de inúmeras reencarnações. A sociedade seria consequência desse homem e dessa transformação. A transformação é moral e não revolução, mas evolução.

Por tudo isso é incoerente a existência de espíritas comunistas.

Num país, como o Brasil, onde cada vez mais os pensamentos socialistas e coletivistas se instalam, é sempre bom fazermos essas reflexões.

Comentários

Frederico Augusto disse…
ANDRE, gostaria que escrevesse algo que relacionasse espiritismo e libertarianismo. Agradecido
Anônimo disse…
Bom, minhas considerações sobre o espiritismo ser compatível com o socialismo/comunismo/anarquia:

1) A evolução é individual, porém vivemos de forma coletiva. Espiritualmente somos atraídos a uma coletividade a fim, uma "egrégora";

2) A doutrina espírita não pode preservar nem defender o materialismo nem a propriedade. A formação humana inicial trata da coletivização, que aproxima as pessoas num "mutualismo";

3)Se vc considerar que a criação do "novo homem" deve partir do individual e não da construção participativa de toda uma sociedade, então você é à favor da vaidade filantrópica, onde o outro que não conhece a doutrina (e aí eu amplio para a pessoa espiritualizada), encontra-se "atrasada". Penso ser uma das heranças "católicas" que ainda sejam mantidas em algumas interpretações espíritas.

Só lembrando, que no pensamento da ex-URSS a religião deve ser extinta porque não passa de uma instituição política e isso é fato. O Espiritismo é uma doutrina, podendo seguir sobre orientação Católica, Islâmica, Hindu, etc. A espiritualidade está presente em todas, mas a institucionalidade não deve existir, porque logo se relaciona com a política.

Esse é o meu pensamento e minha compreensão.
Andre Cavalcante disse…
Caro Anônimo

Esperava este tipo de comentário. Deixe-me considerar algumas coisas:

1) Segundo Kardec em O Livro dos Espíritos:

------
Q. 768. Procurando a sociedade, não fará o homem mais do que obedecer a um sentimento pessoal, ou há nesse
sentimento algum providencial objetivo de ordem mais geral?

R. “O homem tem que progredir. Insulado, não lhe é isso possível, por não dispor de todas as faculdades. Falta-lhe o contacto com os outros homens. No insulamento, ele se embrutece e estiola.”

Kardec: Homem nenhum possui faculdades completas. Mediante a união social é que elas umas às outras se completam, para lhe assegurarem o bem-estar e o progresso. Por isso é que, precisando uns dos outros, os homens foram feitos para viver em sociedade e não insulados
------

Eu: Disso resulta que o fim da sociedade é o crescimento do indivíduo e não a formação da "coletividade" como colocas.

2) De novo, segundo o L.E.:

-----
Q. 881. O direito de viver dá ao homem o de acumular bens que lhe permitam repousar quando não mais possa trabalhar?

R. “Dá, mas ele deve fazê-lo em família, como a abelha, por meio de um trabalho honesto, e não como egoísta. Há mesmo animais que lhe dão o exemplo de previdência.”

Q. 882. Tem o homem o direito de defender os bens que haja conseguido juntar pelo seu trabalho?

R. “Não disse Deus: ‘Não roubarás?’ E Jesus não disse: ‘Dai a César o que é de César?’

Kardec: O que, por meio do trabalho honesto, o homem junta constitui legítima propriedade sua, que ele tem o direito de defender,
porque a propriedade que resulta do trabalho é um direito natural, tão sagrado quanto o de trabalhar e de viver.
-----

Eu: Kardec, os pensadores americanos, os escolásticos espanhóis, os pais da igreja, os grandes livros do oriente (inclusive a Bíblia e o Corão), todos defendem a propriedade privada.

De fato, a noção de propriedade é que dá todo o arcabouço lógico que sustenta a sociedade humana. É tão óbvio que ninguém para muito para pensar em sobre o terreno alheio, o corpo alheio, a família do outro, etc. Ao contrário do que tu disseste, a formação das primeiras coletividades humanas se deram exatamente pela agregação de grandes famílias ou clãs - portanto nasceram da propriedade privada.
Aliás, o único pensador na história que defendeu a não-propriedade foi justamente Marx, cuja citação em Obras Póstumas, pelos Espíritos da Codificação é, no mínimo, depreciativa.

Agora, defender a propriedade privada não tem nada a ver com a defesa do materialismo. Essa união só se deu, novamente, com Marx.

3) Novamente, segundo o L.E.:

-----
Q. 132. Qual o objetivo da encarnação dos Espíritos?

R. “Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar à perfeição. Para uns, é expiação; para outros, missão. Mas, para alcançarem essa perfeição, têm que sofrer todas as vicissitudes da existência corporal: nisso é que está a expiação. Visa ainda outro fim a encarnação: o de pôr o Espírito em condições de suportar a parte que lhe toca na obra da criação. Para executá-la é que, em cada mundo, toma o Espírito um instrumento, de harmonia com a matéria essencial desse mundo, a fim de aí cumprir, daquele ponto de vista, as ordens de Deus. É assim que, concorrendo
para a obra geral, ele próprio se adianta.”
-----

Eu: nem precisa do comentário de Kardec. Está claro, o objetivo é o crescimento individual. A melhora coletiva é consequência da melhoria individual.

Se ainda não satisfeito, lei o texto A Geração Nova em A Gênese. Cito somente um parágrafo do texto:

"A Terra, no dizer dos Espíritos, não terá de transformar-se por meio de um cataclismo que aniquile de súbito uma geração. A atual desaparecerá gradualmente e a nova
lhe sucederá do mesmo modo, sem que haja mudança alguma na ordem natural das coisas"
Anônimo disse…
Concordo que o objetivo é o crescimento do individuo, mas como vc mesmo colocou, esse crescimento parte do coletivo, logo sem uma participação e organização do grupo, o individuo não cresce;
Concordo com a legitima propriedade, penso que como no passado o ser humano vivia em comunidades coletivas, mutualistas, logo, uma sociedade sem propriedades poderá vir se desenvolver no futuro (assim como é no plano espiritual);
Tanto a Bíblia como o Alcorão são livros construídos por interesses políticos e econômicos, lembre-se disso, eles contém "estórias" e não "histórias". Ao estudar espiritismo, não podemos considerá-los como "verdades". Se estudar história das religiões chegará a essa conclusão;
Uma referência de estudo antropológico que refuta sua afirmativa de que a sociedade nasce sobre propriedade privada "Mutualismo - Um Fator de Evolução (Proudhon)"
Concordo quando diz que a defesa do materialismo só foi feita pela ênfase nos trabalhos de Marx (só esclarecendo, não sou marxista);
Bom, concordo em parte com o que diz, mas considero que devemos tomar muito cuidado com que respostas queremos obter nas perguntas que fazemos. Você buscar uma justificativa do capitalismo por exemplo (já que estamos trabalhando com argumentos Marxistas), usando respostas do plano espiritual sem considerar a construção histórica de todo o processo formativo da sociedade, é um tanto quanto simplista. Vou concordar quando defende a propriedade como fruto do trabalho, vou ser contra qualquer regime de coletivização forçado, em que uma ditadura (como definiu Marx) fosse necessária para uma liberdade do homem (materialista). A propriedade tende a desaparecer, isso uma consequência da própria evolução social do homem (e dos animais. Novamente sugiro que leia o livro do Proudhon).
Então, pelo que temos, julgando um "equilíbrio evolutivo", não seria o alcançar nem o comunismo, nem se manter no capitalismo, mas o socialismo de fato. Uma sociedade em harmonia consigo e com a natureza, desapegada do material, do fetichismo dos objetos. Penso que caminhamos por aí.

Obrigado pelas informações, as passagens e suas observações são construtivas para o debate a reflexão.
Andre Cavalcante disse…
Anônimo,

Tenho um pedido: por favor, coloque seu nome. É meio esquisito debater ideias sem saber quem é o outro lado.

Sobre a sua colocação, peço que leia novamente o post original e não somente o meu último comentário.

Eu coloquei no texto exatamente o contrário do que você afirmou que eu teria afirmado. Por todo o texto eu sempre parti do individual para o coletivo e nunca ao contrário, exatamente como Kardec o fez.

De resto você diferencia comunismo e socialismo, divisão esta meramente acadêmica. Mais ainda, dependendo do autor, não há diferença alguma entre eles; outros consideram diferentes no sentido que um admite um propriedade enquanto o outro não. A falha do socialismo, neste sentido, está em que os objetivos sociais somente podem ser conseguidos através de uma entidade supra-sociedade, a qual opera em leis diversas das demais leis sociais (o governo, o estado, etc.), virtualmente criando-se duas classes: uma de exploradores (o governo), outra de explorados (o restante da sociedade), uma vez que aquela entidade acima da sociedade nada produz, portanto é o reverso da liberdade e do individualismo. Novamente, segundo os principais autores da D.E, o pensamento mais conforme a lei natural é o do individualismo.

Sobre a espiritualidade ser socialista - não acredito. Primeiro que não existe UMA espiritualidade, mas várias moradas, cada qual com as suas características que dependem da evolução dos seres que lá habitam. Por exemplo, Nosso Lar é uma típica cidade brasileira, criada por Portugueses, que possui propriedade (inclusive herança) e moeda (o bônus-hora). Também possui indústrias de sucos, roupas etc. Que há cidades espirituais comunistas eu não tenho dúvidas e, muito provavelmente funcionaram melhor que as sociedades na Terra, até porque os líderes não são eleitos, mas assumem as posições por mérito e evolução.

Sim, Marx era um liberal, porque ele achava que o capitalismo iria acabar por si mesmo e um "novo homem" surgiria dali, na revolução. Mais uma vez, a D.E. coloca que o processo é evolucionário e não revolucionário.

Por fim Proudhon se diz anarquista, no entanto ele nada mais era que um outro comunista, justamente por ir contra a propriedade de qualquer forma, e ainda usava, para se justificar, a maior mancada econômica de Marx, que é a mais valia (relações econômicas não são um jogo de soma zero, e se o fosse, seria impossível a evolução material e o crescimento econômico - o que é desmentido a todo instante pela experiência - o último século teve um crescimento mundial em torno de 2%a.a. ininterruptamente).
Anônimo disse…
Caro André Cavalcante, primeiramente me desculpe por não ter me identificado de início, mas não tenho como logar por perfil próprio, chamo-me André Luiz.

Bom, quanto a suas explanações, dou o meu comentário. Antes, desculpe também se entendi mal alguma coisa.
Bom, dizer que Comunismo e Socialismo são a mesma coisa é forçar a barra, sendo que você pode sim, dizer que o socialismo seja uma etapa do comunismo, mas não é a mesma coisa;
Concordo quando falou sobre as várias espiritualidades, isso por sinal é obvio partindo da evolução distinta dos indivíduos, de seus grupos (sociedade), e sua história, logo cada espiritualidade se desenvolve dentro de um contexto muito abrangente;
Dizer que o Proudhon era comunismo, é uma falácia. Ele, na 1ª Internacional se desvincula, não aceitando o Marxismo;
Considerar a evolução humana (material) puramente baseada na mercantilização, ainda considero como simplismo. A sociedade humana, através da ajuda mútua, sempre se desenvolveu (poderíamos até chamar isso de "economia solidária"), logo o lado financeiro, só serviu para exploração (seja isso sobre ótica marxista ou não). A sociedade tem sim, como viver sem dinheiro e como evoluir muito além do que já alcançou sem necessitar do comércio. O capital, ou a exploração do trabalho de qualquer forma, trava o desenvolvimento humano, porque prende o indivíduo em algo que não necessariamente seja onde ele produza melhor, com prazer e feliz. Uma atividade que lhe proporcione prazer, uma sociedade que compense o trabalho de cada um, oferecendo o básico para a vida e que empenhe atenção e esforço somente no que trará benefício à todos, é o desejável.
Peço uma reflexão de sua parte, partindo do pressuposto que o individuo evolui pelas obras que faz, ou seja, em termos gerais, pela caridade, não seria através da caridade de todos e por todos que alcançaríamos uma evolução individual primeiramente, e posteriormente coletiva?

Link do livro: http://www.anarquista.net/wp-content/uploads/2013/04/Ajuda-M%C3%BAtua-um-fator-de-evolu%C3%A7%C3%A3o-Piotr-Kropotkin.pdf

ou

http://libertaria2012.wikispaces.com/file/detail/Kropotkin%20-%20Ajuda%20M%C3%BAtua%20_%20Um%20fator%20de%20evolu%C3%A7%C3%A3o.pdf

E sugiro o vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=ikRTSCJBnDQ
Andre Cavalcante disse…
Caro Xará,

Dois comentários:

1º. Socialismo e Comunismo são quase sinônimos. Só para contextualizar, a definição da Wikipedia no verbete Socialismo é

"Socialismo refere-se a qualquer uma das várias teorias de organização econômica, advogando a administração, e a propriedade pública ou coletiva dos meios de produção, ...".

Já o verbete comunismo traz:

"O comunismo (do latim communis - comum, universal) é uma ideologia política e socioeconômica, que pretende promover o estabelecimento de uma sociedade igualitária, sem classes sociais e apátrida, baseada na propriedade comum e no controle dos meios de produção e da propriedade em geral"

Como disse, a distinção, se é que existe, é puramente acadêmica.

Não vejo em um blog o local adequado para esse tipo de discussão.

2º Em nenhum momento disse que não PODEM existir espíritas comunistas, somente disse é incoerente, isto é, apesar de todas as indicações que o Espiritismo, em sua base, é:
- individualista e não coletivista;
- tem a noção de propriedade privada, contra a noção de meios coletivos;
- é baseado na responsabilidade individual dos atos do espírito encarnado ou desencarnado
- que a base da convivência humana está na caridade (portanto ação privada, individual)

ainda há gente que tenta achar uma brecha socialista dentro do espiritismo. Note que isto não tem nada a ver com a beneficência, dever precípuo de todo cristão.


Anônimo disse…
Meu caro, concordo que a discussão teórica das expressões não seja a finalidade, então, pulando isso, faço minhas ultimas afirmações baseado no que destacou:
- Espiritismo individualista, sim, mas com reflexos no coletivo;
- Não consigo ver a noção de propriedade privada, mas de atitudes e consequências privadas, ou seja particulares, aí sim, estou de acordo;
- Concordo plenamente na questão de responsabilidade individual;
- Concordo também que a convivência deva ser baseada na caridade, privada, sem dúvida.

Uma ultima sugestão de leitura: http://www.carlosvereza.com/2011/11/kardec-e-marx-o-impensavel-encontro.html

Meu caro André, muito obrigado pelo debate. São pontos que trazem aspectos interessantes e que devem ser pensados. O que certamente levará sempre a um aprimoramento de se pensar e repensar o "público" e o "privado" social.

Att

André Luiz
Andre Cavalcante disse…
Caro André,

Você disse: "Não consigo ver a noção de propriedade privada, mas de atitudes e consequências privadas, ou seja particulares, aí sim, estou de acordo"

Para lhe ajudar (creio que deve ter passado batido o conceito que coloquei acima), transcrevo novamente Kardec:

"O que, por meio do trabalho honesto, o homem junta constitui legítima propriedade sua, que ele tem o direito de defender, porque a propriedade que resulta do trabalho é um direito natural, tão sagrado quanto o de trabalhar e de viver."

O que seria então a propriedade senão o trabalho, a vontade e a ação sobre a matéria? E o que seria a vontade e a ação senão atributos do Espírito?

E é por isso que concluo a incoerência humana quando se coloca a mercê da "sociedade". Afinal, como ela é formada? Por homens! Qual é a "vontade" da sociedade? Não existe, o que existe são vontades individuais, particulares, privadas. Daí que, o que se chama sociedade, civilização, nada mais é que a consequência da interação entre milhares de vontades individuais, que mais ou menos no mesmo nível evolutivo determinam a sua moral e seus costumes.

Veja outro post meu neste blog: Liberalismo e Espiritismo
Maurício. disse…
Caro Andre, que post excepcional. Você conseguiu explanar de maneira muito clara e simples que comunismo é a antítese de tudo o que prega a doutrina espírita, ou seja, eles não podem conviver de forma harmônica, pois pregam doutrinas completamente diversas.

E olha que você se ateve somente aos aspectos "doutrinários" do comunismo. Nem citou os quase 100 milhões de mortes que o comunismo causou com a desculpa de "construir o novo homem".

Meus parabéns. Aguardamos outros posts teus a respeito.

Um grande abraço,

Maurício.
Francisco disse…
Perfeito!
Só quem não sabe nada de espiritismo pode defender o comunismo.
Anônimo disse…
Segundo o espiritismo fora da caridade não ha salvação, então me fala se existe uma forma maior de caridade que transformar a sociedade humana em uma sociedade de caridade.

Jesus tinha ideais parecidos com os dos comunistas, e era contra a propriedade privada tambem tanto que havia um trecho da biblia que ele fala para um jovem largar todas as suas posses para que ele possa evoluir. A sociedade capitalista regride o ser humano e o transforma em um animal sedento por dinheiro.
Andre Cavalcante disse…
Anônimo,

Me responda uma coisa: animais usam dinheiro? Eu nunca vi. Também nunca vi um animal (exceto o próprio ser humano) estar sedento por dinheiro. Portanto não é o capitalismo que transforma o homem em um animal sedento por dinheiro, mas o próprio ser que, por sua ganância (aqui colocada no mal sentido do termo), deturpa a relação de troca voluntária (capitalismo, por definição do Marx).

Outra: Jesus era contra a propriedade privada? E o que dizer do dai a César o que é (propriedade?) de César e a Deus o que é (propriedade?) de Deus?, exatamente separando as coisas do coração (e sua religação com Deus) das coisas da Terra.

Sobre a sua 1a frase: essa sim está dentro do sentido que coloquei no meu post: o objetivo da D.E., quanto à mudança na sociedade é transformá-la em uma sociedade baseada na lei de justiça, amor e caridade (L.E. parte III). Logo, isso só é possível dentro de um contexto de propriedade privada (se não, não há caridade - doação do que é seu e, mais ainda, de si mesmo). No comunismo (ou socialismo, ou mesmo fascismo) tal não é possível, pois, não havendo a noção de propriedade privada não há sentido em doação, pois qualquer um pode pegar o que quiser do coletivo. Caridade é eminentemente pessoal e intransferível - não posso transferir a minha responsabilidade com a caridade para o "estado" ou a "sociedade", senão deixa de ser caridade (por definição).

Obrigado pela participação.
Anônimo disse…
Excetuando os comentários do André Luiz, é por mentalidades ignorantes (no sentido de ignorar) como as dos comentários aqui, apesar de evidentemente jamais terem lido uma obra de Marx, mas ainda se posicionam contra o "comunismo", que deixei de ser espírita.

Obviamente, antes que alguém pergunte, outro dia mesmo fui indagado (mais uma vez) sobre como é possível alguém deixar de ser espírita depois de "conhecer"... hahahaha... como se não existisse vida inteligente e verdade para além e até contrariamente ao espiritismo.

Sugiro que o amigo escritor do texto deixe de ler (segundo as suas palavras) "alguns textos sobre Marx" e passe a ler os textos do próprio. Sugiro ainda o capítulo 24 de O Capital (livro I). Esse capítulo vai lhe dar uma pequena aula introdutória sobre propriedade porque, a propósito, o seu comentário sobre ela está errado. Trata-se da propriedade dos meios de produção. Nenhuma relação com a sua casa, seu carro ou seu pijama.

Sobre "ópio do povo"... bom... eis aí a sua pagina como exemplo.

Palavras suas: ... é incoerente a existência de espíritas comunistas! Certamente! Nisso eu te dou toda razão! Não se pode misturar o trabalho de Marx (análise histórica) com as "revelações" de Kardec (frutos de sua época, recheadas de Positivismo, mas isso nenhum espírita quer estudar).
Andre Cavalcante disse…
Obrigado pela postagem, caro Anônimo.

Bem, não quis comentar a questão da propriedade dos meios de produção, porque esse aspecto especifico da teoria econômica de Marx (e que é a base de todo o seu desenvolvimento) já havia sido refutada por Mises ainda na década de 20. E foi refutada a tal ponto que até hoje ninguém ainda conseguiu replicar.

Uma nota: Marx foi conterrâneo de Kardec e há um comentário específico sobre ele que os Espíritos da Codificação fizeram a Kardec, em reunião na qual Marx estava presente: "Quando o bordão soar, abandoná-lo-eis; apenas aliviareis o vosso semelhante; individualmente o magnetizareis, a fim de curá-lo. Depois, cada um no posto que lhe foi preparado, porque de tudo se fará mister, pois que tudo será destruído, ao menos temporariamente. Deixará de haver religião e uma se fará necessária, mas verdadeira, grande, bela e digna do Criador... Seus primeiros alicerces já foram colocados... Quanto a ti, Rivail, a tua missão é aí. (Livre, a cesta se voltou rapidamente para o meu lado, como o teria feito uma pessoa que me apontasse com o dedo.) A ti, M..., a espada que não fere, porém mata; contra tudo o que é, serás tu o primeiro a vir. Ele, Rivail, virá em segundo lugar: é o obreiro que reconstrói o que foi demolido."
Luis Henrique S disse…
http://www.mises.org.br/files/literature/A%20teoria%20da%20explora%C3%A7%C3%A3o%20do%20socialismo-comunismo%20-%20WEB.pdf

Como o André Cavalcante o disse, a teoria de Marx foi refutada na década de 20 por Mises, e antes mesmo posta em questão por Eugen Von Bohn-Bawerk. Esse é o livro que joga no limbo toda a teoria da exploração marxista. Acho que se a pessoa tiver um bom caráter, ela vai querer saber da verdade. Essa obra só produziu calúnias desde que foi publicada, até hoje. Ninguém conseguiu fazer tréplicas. E aí, vamos ler?

Abraços de um Liberal simpatizante do espiritismo

Luis Henrique S
Anônimo disse…
"Segundo o espiritismo fora da caridade não ha salvação, então me fala se existe uma forma maior de caridade que transformar a sociedade humana em uma sociedade de caridade."

Eis o dever moral, de todo cristão, de todo espirita que se considera! Mas vem cá, desde quando o socialismo é caridade? Tu viu muita propaganda pró-marx nos livrinhos do MEC meu amigo! hehe
Anônimo disse…
Ora, o comunismo, sempre falando em prol dos pobres, matou mais de 100 milhões de pessoas no século 20. É uma doutrina do mal. Não pode ser associada ao espiritismo de forma alguma.

Che Guevara, o nobre libertador, matou com as próprias mãos dezenas de crianças, grávidas, idosos.

Vejam esse documentário sobre o comunismo no CAMBOJA, onde um terço da população foi eliminada e torturada pelo nobre POL POT.

Gostaria de saber onde os comunistas ficam quando morrem? Por afinidade, seus espíritos não deveriam ficar todos no mesmo lugar ?
5 disse…
E muitas pessoas não entendem por Chico Xavier, orientado por Emanuel apoiou o contragolpe militar de 64. Ele sabia o que a ameaça comunista representa. E existem certas ameaças, infelizmente, que só podem ser combatidas com ações incisivas do Estado. Compare O regime militar brasileiro e todos os outros regimes militares paralelos. Aqui tivemos 300 mortes, em Cuba somou-se mais de 70 mil mortes. Estejamos atentos, para que a ameaça comunista não volte assombrar o nosso querido Brasil
Anônimo disse…
o homem busca a vida em comunidade de modo a concorrer para o progresso,
através da ajuda recíproca, a solidão torna o homem improdutivo e inútil para seus
semelhantes. A solidão contraria o próprio instinto de conservação e de perpetuação da
espécie, não contribuindo para o progresso, embrutecendo e também enfraquecendo o
homem.
Aqueles que se isolam, fugindo ao convívio social, revelam uma dose de egoísmo
sendo condenável quando, quando esta conduta não é de utilidade para os outros. Aqueles
cuja retirada do convívio social tem por fim prestar serviço ao próximo, terão a seu favor a
prática das Leis do Trabalho e da Caridade
Anônimo disse…
Saudações,

Sou espírita e sou comunista/socialista. Gostaria de agradecer pela reflexão e principalmente por deixar bem claro que esta é somente sua opinião pessoal, afinal, o Espiritismo é apartidário, e o próprio Espírito de Verdade não se posicionou politicamente, logo, qualquer posicionamento de qualquer participante do movimento espírita, seja encarnado ou desencarnado, é apenas sua própria opinião, não refletindo um consenso dentro do meio.
Respeitosamente, Alexandre.
Márcio disse…
Bom dia a todos. Esta é primeira vez que me manifesto neste blog - e peço licença para isso -, porém já o acompanho há alguns meses, tendo tido a oportunidade de ler alguns textos e os comentários a eles subjacentes.
Sou espírita também e não acredito de maneira alguma que marxismo, comunismo ou socialismo - não importa a denominação - tenham relação com a Doutrina codificada por Kardec, porque esta prega uma sociedade que avança moralmente por meio das liberdades individuais, por meio do livre arbítrio; a evolução não se dá por coerção social, que é tudo o que prega o comunismo: a vontade da coletividade - ou, melhor, de quem controla a coletividade - sobre os demais. Por si só, este argumento já bastaria, sem precisar falar da miséria e dos genocídios deixados por todos os regimes socialistas do planeta, configurando uma chaga moral muito grande em torno deles.
Sem me alongar, gostaria de deixar este link, que remete a um artigo de outro espírita, falando sobre a incompatibilidade de ambas visões: http://www.recantodasletras.com.br/artigos/3130687
Abraços a todos.
Sofia disse…
Ao Anônimo 1 de novembro de 2013 01:35

Percebe-se que não deves ser espírita mas sim, COMUNISTA...comunoesquerdistas são arrogantes, se acham mais inteligentes que os demais e menosprezam as demais opiniões, além de debochar...

Por isso que não acredito em espiritas comunistas, eles não existem
Sofia disse…
Concordo plenamente André Cavalcante!
O comunismo prega a igualdade mas como teremos igualdade num planeta de provas e expiações??
Não tem lógica!
Temos o livre arbitrio para escolhermos nossos caminhos, pq o "Estado" tem que nos controlar?
Já viram como é na Coreia do Norte? Até cortes de cabelo são controlados!

Márcio Antônio disse…
O Comunismo só pode funcionar em esferas superiores, onde o ego e o "querer desenfreado" são domados, ou anulados em meio onde a materialidade é transitória. O Homem/Espírito é levado a compreender que não precisa mais exercitar a capacidade de adquirir, de acumular coisas vãs com propósitos de sobreviveria corpórea
Andre Cavalcante disse…
Obrigado pelo comentário, Márcio Antônio.

É difícil analisar como é na espiritualidade superior, porque ainda somos muito inferiores para percebermos as nuances da vida superior. Entretanto, temos como certo que valores morais são fundamentais num mundo superior. É nesse aspecto que seu comentário é baseado.

Mas, o querer, a vontade, é bom que percebamos, é uma qualidade inerente do espírito e, quanto mais superior, mais vontade firme ele tem.

Vencer as suas mazelas é igualmente um ato de força de vontade. Portanto, quanto mais superior mais vontade e querer se tem. O que muda, na verdade é o que se quer.

Atualmente vivemos um mundo de inveja: se deseja e se faz o mal ao próximo, para se sentir "melhor" do que ele. Num mundo superior, admite-se, se quer o bem do próximo.

Sobre a capacidade de adquirir ou de acumular, lembrar igualmente que se trata de um atributo do espírito, portanto, principio criado por Deus e tão natural quanto o ato de respirar, só que aplicado ao mundo moral, enquanto este último claramente se refere ao mundo material. Igualmente ao parágrafo anterior, o que muda é o que se quer adquirir ou que se quer acumular.

Lembrar igualmente que é a acumulação de capital (capital físico, como máquinas e ferramentas, capital de conhecimento e capital de valores morais) que sustenta a nossa frágil civilização moderna.

Resumo da prosa: seu comentário está querendo ir na direção correta, mas tome cuidado com as palavras e com os seus conceitos subjacentes, uma vez que elas podem fazer você esquecer certos detalhes fundamentais em toda essa discussão.

Abraços
Diógenes Raizel disse…
O livro "Socialismo e Espiritismo" de Léon Denis faz profunda reflexão das relações entre o espiritismo, socialismo e comunismo.
É um livro q eu indico para tirar as duvidas qdo nos questionamos: - Ser comunismo é compatível com o espiritismo?
Márcio disse…
Peço licença para novamente me manifestar neste blog.
Diógenes, parece que o socialismo de Léon Denis não é aceito nem pelos socialistas, meu caro.
Dê uma olhada neste texto, escrito por um socialista, a respeito do referido livro: http://diariodeumbobodacorte.blogspot.com.br/2010/06/espiritismo-e-socialismo.html
O socialismo, em suas bases teórias (apenas), tende a nos seduzir por nos vender a (falsa) ideia de que se trata de um sistema menos egoísta que o capitalismo. Nada mais falso, porque o problema dos excessos, da ganância, não vigora no sistema e sim, no ser humano.
Quando você vê o sistema socialista na prática, se depara com tal verdade, já enunciada na Obra Kardequiana. Basta olhar a história e constatar os frutos do socialismo prático: aumento da miséria, matança desenfreada e muita tirania, tudo resultado da ganância daqueles que, exercendo o papel de líderes, trabalharam para implantar tal sistema.
O capitalismo é imperfeito, como toda obra humana, mas é o sistema que melhor se enquadra à equação: meritocracia + aprimoramento individual e coletivo + liberdade + democracia = desenvolvimento. Mesmo tocado por seres egoístas ele é o único sistema capaz de gerar riquezas e melhor distribuir renda, desde é claro, que haja liberdade para tal.
Abraços.
Andre Cavalcante disse…
Essa é, sem dúvida a minha postagem com mais comentários. Parece que o assunto sucinta paixões mais variadas.

Estou lendo o livro do Leon Denis e, até agora, me parece um bocado equivocado, pois utiliza um conceito diferente de socialismo tradicional. Tá muito mais pra vida em comunidade do que sociedade socialista. De qualquer modo, se tiver que escolher entre Kardec e Leon Denis, prefiro Kardec.

Abraços
Márcio disse…
Andre, off-topic, posso lhe dar uma sugestão de postagem? Já que estamos tratando de assuntos atuais, que envolvem política, que tal se você escrevesse algo sobre Espiritismo e a teoria de gênero, que visam implantar agora em nossas escolas?
Eu já procurei e não encontrei em nenhum site uma discussão sobre o tema, que fosse muito bem construída e embasada na D.E.

Abraços.
Anônimo disse…
Olá, me chamo Maurízio.

André Cavalcante, muito obrigado pelos esclarecimentos sobre essa questão entre o Espiritismo e o Marxismo.

Porém, fica um pouco contraditório:

Temos uma obra chamada ''Socialismo e Espiritismo'' de Léon Denis - foi um filósofo, médium e um dos principais continuadores do espiritismo após a morte de Allan Kardec. Ele é um apoiador do socialismo.

E vale ressaltar que socialismo e marxismo é praticamente a mesma coisa, as palavras são diferentes para fins acadêmicos, mas no fim, o objetivo é o mesmo.

Logo, fiquei confuso... O que você tem a dizer? Gostaria muito de saber.

Um abraço.
Caro André Cavalcante,

E a primeira vez que posto no seu blog.
Já que apareceram tantos “ANDRES” acima

Quero te agradecer pelo Tópico, e de compartilhar seus pensamentos comigo e outros companheiros.
Vivemos em dias obscuros onde as FÉ cristã vem sendo combatida em varias frentes. Nos Espíritas não estamos livre deste combate.

A questão é de como agir e se manifestar.

Obrigado.

Andre Luis Azevedo
Excelente artigo. Sou católico de criação mas muito simpatizante do espiritismo, graças a Chico, e concordo em gênero, número e grau com o seu artigo. Favoritei.
William disse…
Olá. Não sou espírita, mas pertenço a uma religião que acredita em reencarnação, o que faz com que seja comum que leiamos livros espíritas, etc.

Me considerei socialista até os 27 anos de idade, até a inquietação me levar a conhecimentos que me tirassem desta ideologia. Sob o ponto de vista do melhoramento da sociedade e fortalecimento da economia o socialismo e seu superlativo, o comunismo, são pobres. Mas são atraentes, diante de seus discursos.

Livros como "O Capital" nem são assim tão destrutivos. Com algum conhecimento simples e HONESTO de economia você consegue facilmente refutá-lo. O maior problema, afinal, está num texto comunista que pouco fala sobre o estabelecimento de uma utópica igualdade, mas que consegue ser mais nocivo que qualquer outro: "A Nossa Moral e a Deles", de Leon Trotski. Este sim é um texto que formula o socialismo de hoje, tornando-o um perigo público.

Nesse texto, Trotski defende que, em nome da revolução socialista, não é errado matar, torturar, mutilar ou promover o horror. É isso o que vemos hoje: comunistas apelam para a compaixão das pessoas quando um deles sofre uma injustiça, mas não há injustiça que cometam que, para eles, não seja amplamente justificada. Os fuzilamentos promovidos por Che Guevara (que não são teoria da conspiração, foram confirmados pelo próprio na ONU, sem a menor culpa, em gravação fácil de encontrar) não fazem dele menos herói para os comunistas, já que ele o fazia em nome da dita "revolução".

E este pensamento, meus amigos, é que é perigosíssimo. Tenho um amigo espírita, que após ingressar numa universidade pública e cursar Geografia está cada vez mais raivoso e mais apoiando o comunismo. Em nome da "revolução", talvez nem veja mal nos assassínios por parte dos guerrilheiros das décadas de 1960 e 1970. É muito triste!
Andre Cavalcante disse…
Realmente é um tópico que sucinta paixões diferentes.
Obrigado pela palavras caros Andre Luiz Azevedo, William e o Mengão Blumenau.

William,
realmente é preocupante o estado dos cursos superiores no Brasil. Já passaram e muito do ponto aceitável de ideologização. Há pouco ainda havia alguma razão e comedimento. Hoje nada mais resta.

A este seu amigo espírita: sugira a ele a leitura do capítulo que trata da última lei moral discutida por Kardec na parte 3 de o Livro dos Espíritos, justamente a Lei de Justiça, Amor e Caridade. Se ainda sobrou algo de racional em seu amigo ele não ficará indiferente à leitura. Depois peça para comentar aqui no blog.

Maurizio, veja o meu comentário acima sobre o Livro de Denis. Ele usa o termo socialismo mas se refere, claramente a uma sociedade formada por comunidades (não confundir com comunas). No socialismo de Denis há propriedade privada, respeito pelo próximo, leis comuns (que valem para todos, indistintamente) e a família tem um valor maior que o coletivo (a sociedade) e mesmo a comunidade que àquela família pertence.

O socialismo de Denis é tão diferente do socialismo tradicional que os próprios socialistas não aceitam aquilo que Denis colocou como socialismo. Então é uma obra, apesar de interessante, sem muito valor: não acrescenta nada que Kardec ou Jesus já não tenham falado sobre a D.E. e distorce o socialismo tradicional dos demais pensadores daquela mesma época. Particularmente não gostei. Está quase na contra-mão de uma de suas obras-primas: Depois da Morte.

Abraços
Anônimo disse…
Boa noite a todos. Chamo-me Hugo.

Interessantíssimo o tema. Já me despertou a fazer várias pesquisas e leituras.

Hoje, tenho convicção, assim como o autor do texto - o qual, aliás, é preciso, a meu ver - de que o comunismo/socialismo não se compatibiliza com as premissas da doutrina espírita.

Minha intenção em fazer este comentário, porém, é contribuir com o debate trazendo obra espírita que aborda diretamente a questão do socialismo. Recomento a todos a leitura do livro "A Caminho da Luz", em que Emmanuel, através de Chico, refuta incisivamente a doutrina marxista. Eis um aperitivo:

Sobre o Socialismo: "Uma revolução sociológica de consequências imprevisíveis ameaça a estabilidade da própria civilização, condenando-a à destruição mais completa."

Sobre o papel do Espiritismo, num tópico de nome "Restabelecendo a verdade", que vem logo após o tópico sobre o "Socialismo": "Não se engana com as utopias da igualdade absoluta, em vista dos conhecimentos da lei do esforço e do trabalho individual, e não se transforma em instrumento de opressão dos magnatas da economia e do poder, por consciente dos imperativos da solidariedade humana".

Boa leitura a todos! E parabéns ao autor do blog!

Abs
Bruno Alcântara disse…
Sinceramente não entendo, venho de uma família espírita e cresci sendo espírita , conheço bem os conceitos cristãos e espíritas. O Espiritismo prega a coletividade e o despreendimento de bens materiais, porém Deus tem sua lei justa correto? Então o que acontece quando um assassino desencarna? Ele irá para um lugar de acordo com sua vibração certo? Quando vemos no Nosso Lar, todos os espíritos vivendo em coletividade , todos cooperando, temos que lembrar que todos ali tem uma evolução compatível com este local, certo? então existe uma pré seleção para que você goze daquela tranquilidade, certo? Como seria se o assassino e uma pessoa de bem tivessem os mesmos privilégios após a morte? Então porque não seria justo, que um homem que trabalhe mais ou melhor receba mais pelo seu trabalho? O comunismo ( na teoria ) divide todos os bens entre todos , não importando , dedicação , capacidade, esforço ou seus talentos. Quando digo isso estou levando em conta a teoria ( que é impossível de ser aplicada, pois é economicamente insustentável, levando toda essa sociedade a ruína e todos a fome e miséria, pois se não há incentivo, não há produção, se não há produção não há alimento). Os preceitos comunistas são, fim da família, fim do cristianismo, liberação do aborto, promiscuidade homossexual, iniciação sexual na infância ( pedofilia). Além comunismo ter assassinado 300 milhôes de pessoas se você contar os abortos, isso em países que não estavam em guerra. O capitalismo nada mais é que o capital na mão da população para que estes contratem em si livremente, quando você trabalha e recebe seu salária, é capitalismo, quando você estuda e melhora de emprego, é capitalismo.O Socialismo é todo este capital gerido pelo Estado, para que este redivida entre todos igualmente ( Digo novamente que estou levando a teoria, porque na verdade em todos os país comunistas nada foi dividido,O governo na posse de tudo se torna tirano , corrupto e ditador, vemos isso em todos os países comunistas como Coreia do Norte, china, União soviética, Europa oriental), porém esta riqueza acaba, e quem irá trabalhar em uma sociedade onde tudo é dividido não importando seu merecimento. Então onde esta a Lei de Ação e Reação, onde esta a justiça Divina? Nos países de capitalismo pleno, ( O Brasil não é capitalismo pleno, aqui o Estado esta em tudo, com intervencionismo e altos impostos, estamos mais perto do socialismo) como EUA, Coreia do Sul, japão temos uma democracia consolidada, liberdade intelectual, religiosa e liberdade de melhorarmos como seres humanos. Então me responda, o que há de cristão ou de Espírita no comunismo?
Andre Cavalcante disse…
Olá Bruno Alcântara, obrigado por comentar esta postagem.

Se me permitir, só tenho uma coisa a corrigir de seu comentário: o Espiritismo não prega a coletividade! Antes prega a individualidade. "O ser humano É e DEVE SER considerado a sua mente" (Joanna de Ângelis). "O Homem é construtor do seu futuro" (Emmanuel). E toda a obra de Kardec é uma chamada para a responsabilidade individual. Viver coletivamente é uma questão da evolução: "... insulado, ele embrutece" (Lei de Sociedade, em o L.E).

Sobre o desprendimento dos bens materiais, é preciso não levar a ferro e fogo; o que Kardec coloca no E.S.E é que não devemos dar mais valor aos bens materiais que aos bens espirituais, mas que devemos viver no mundo como se deve viver no mundo (incluindo aí os bens materiais).

Abraços

André Cavalcante

Belíssimo trabalho de informação!!
É muito triste ver espíritas defendendo o socialismo/comunismo, cuja doutrina exterminou mais de 100 milhões de vidas no mundo!!
Sem contar os professores, que de forma criminosa, deturpam a história, quando dizem que o nazismo e fascismo não tem nada haver com o socialismo/comunismo!
Mas, diante de tudo, parabéns pelas suas colocações!!
Anônimo disse…
"Como devemos encarar o comunismo cristão?

O comunismo em suas expressões de democracia cristã está ainda longe de ser integralmente compreendido como orientador de vossas forças político-administrativas.

Somente serão entendidas as suas concepções adiantadas, à luz dos exemplos do Cristo, quando reconhecerdes que o Evangelho não quer transformar os ricos em pobres e sim converter os indigentes em ricos do mundo, fazendo desabrochar em cada indivíduo a concepção dos seus deveres sagrados, em face dos problemas grandiosos da vida.

Comunismo ou socialismo cristão não pode ser a anarquia e a degradação que observais algumas vezes em seu nome, significando, acima de tudo, a elevação de todos, dentro da harmonia soberana e perfeita.

Quando o homem praticar a fraternidade, não como obrigação imposta pelas justas conveniências, mas como lei espontânea e divina do seu coração, reconhecendo-se apenas como usufrutuário do mundo em que vive, convertendo as bênçãos da natureza, que são as bênçãos de Deus, em pão para a boca e luz para o espírito, as forças políticas que dirigem os povos nortear-se-ão sem guerras e sem ambições, obedecendo aos códigos de solidariedade comum.

Semelhante estado de coisas, porém, nunca será imposto por armas ou decretos humanos. Representará o amadurecimento da consciência coletiva na compreensão dos legítimos deveres da fraternidade e somente surgirá, no mundo, por efeito do conhecimento e da educação de cada indivíduo." (Coletânea do Além, obra mediúnica psicografada pelo médium Francisco Cândido Xavier.)
Andre Cavalcante disse…
Gosto muito dos textos do Emmanuel, principalmente os que mostram o cristianismo mais puro. No entanto, há alguns textos atribuídos a ele que são bem complicados. Este, por sinal, usa alguns termos em que não define o sentido que quer empregar, deixando ao leitor a subjetividade da interpretação. Só isso já seria um sinal que o texto pode não ser efetivamente de Emmanuel que costuma ser muito claro em suas colocações.

De qualquer forma, vejamos o texto em questão:

(Vou dividir esta análise em duas partes, porque fico um pouco extenso e o blogger não permite comentários tão grandes)

"O comunismo em suas expressões de democracia cristã está ainda longe de ser integralmente compreendido como orientador de vossas forças político-administrativas"

O que seria "o comunismo em suas expressões de democracia cristã"? Não define, mas deixa claro que se trata de algo ligado a forças político-administrativas. Admitamos então que se trata do comunismo como realidade político-administrativa, isto é, o estado estar tão agigantado que seria dono de tudo e, portanto, determinador da economia, da política e da sociedade.

Aí vem o seguinte parágrafo:

"Somente serão entendidas as suas concepções adiantadas, à luz dos exemplos do Cristo,..."

Os exemplos do Cristo são os exemplos da caridade, da liberdade pelos próprios atos. Se não for assim, não haveria sentido no: "Vai e não peques mais".
Logo, entender isso como comunismo é entender comunismo como caridade. Como caridade é algo individual já está em desacordo com o primeiro parágrafo, que fala da esfera político-administrativa.

"... quando reconhecerdes que o Evangelho não quer transformar os ricos em pobres e sim converter os indigentes em ricos do mundo, fazendo desabrochar em cada indivíduo a concepção dos seus deveres sagrados, em face dos problemas grandiosos da vida."

Mas este é também o objetivo do capitalismo (na verdade é o objetivo de qualquer arranjo econômico-social)
Andre Cavalcante disse…
(Essa é a segunda parte, seguindo o comentário acima)

"Comunismo ou socialismo cristão não pode ser a anarquia e a degradação que observais algumas vezes em seu nome, significando, acima de tudo, a elevação de todos, dentro da harmonia soberana e perfeita"

Mais uma vez, faz confusão: anarquia não é falta de leis e, muito menos, degradação. Anarquia é tão somente uma forma de organização política em que não há soberano. Anarquia = sem soberanos; Monarquia = um soberano; Oligarquia = vários soberanos; Politéia = todos são soberanos. Um erro crasso desses deveria ter sido pego na revisão do texto. O fato de o médium ser o Chico não exime as pessoas de pensar e negar (renegar mesmo) textos com erros tão absurdos. Para um espírito que teve uma encarnação como juiz nos tempos romanos, tais conceitos seriam absolutamente comuns e seu dia a dia. Dá pra acreditar que é um texto de Emmanuel?

"Quando o homem praticar a fraternidade, não como obrigação imposta pelas justas conveniências, mas como lei espontânea e divina do seu coração, reconhecendo-se apenas como usufrutuário do mundo em que vive, convertendo as bênçãos da natureza, que são as bênçãos de Deus, em pão para a boca e luz para o espírito, as forças políticas que dirigem os povos nortear-se-ão sem guerras e sem ambições, obedecendo aos códigos de solidariedade comum."

Mais um conflito com o comunismo (definição usada no artigo em questão). Comunismo não é caridade. Este parágrafo se refere a fraternidade voluntária. Quando todos os indivíduos da Terra tiverem como norma de conduta tal fraternidade, lógico que os governantes também terão como valores e normas de conduta a fraternidade e, como tal, nada de guerras, e apenas orientados para a solidariedade. Mas o comunismo (novamente como definido na filosofia política) é caracterizado pelo estado direcionando o indivíduo e não o contrário, como este parágrafo faz crer.

Das duas uma: ou o espírito não está falando de comunismo como entendemos, ou ele simplesmente não faz ideia do que seja isso. Nenhuma destas alternativas são alinhadas com o que entendemos dos pensamentos de Emmanuel.

"Semelhante estado de coisas, porém, nunca será imposto por armas ou decretos humanos. Representará o amadurecimento da consciência coletiva na compreensão dos legítimos deveres da fraternidade e somente surgirá, no mundo, por efeito do conhecimento e da educação de cada indivíduo."

Se foi Emmanuel mesmo que escreveu, então ele corrobora a minha postagem: o espiritismo é, antes de tudo, individualista: a sociedade será o resultado do conhecimento e da educação de cada indivíduo. Como tal, não pode estar atrelado ao que se entende por comunismo.
Anônimo disse…
Entendendo o o socialismo como uma etapa para se chegar ao comunismo, recomendo a você a leitura do Livro Socialismo e Espiritismo de Léon Denis. Divaldo P. Franco explica em uma de suas palestras que o conceito marxista de O Ópio das massas era porque na época a Igreja apoiava crianças e mulheres trabalhando até a exaustão, muitos morrendo dentro das fábricas, bem no período de transição entre o Feudalismo e Capitalismo, mas hoje isto não acontece mais, não há mais uma influencia direta das religiões na condição de trabalho do proletariado. Abraço fraterno!
Anônimo disse…
Anônimo de 12 de Abril de 2016:

Releia os comentários, o livro por você citado já foi comentado anteriormente. E rebatido.

Abçs
Michayllon disse…
Realmente, quando vemos que nas cidades espirituais são fundamentais a meritocracia e a liberdade individual para a evolução do Ser, não há como compreender espiritismo e comunismo juntos, pelo menos não com o comunismo real que conhecemos e o nosso atual estagio evolutivo. Talvez nos planos superiores, em que o egoismo, a ganancia,o orgulho, a invigilancia e a preguiça não mais imperam, os espíritos vivam num comunismo ideal onde todos tem a mesma responsabilidade e deveres em relação à harmonia e evolução universal.
Anônimo disse…
Seria interessante tbem, escrever suas reflexões sobre as ideologias inimigas do socialismo e do comunismo: Nazismo e fascismo.
Anônimo disse…
Olá, meu nome é cecília, achei bastante interessante o assunto debatido e gostaria de participar.Não sei se nos dias de hoje cabe esta discussão tão ao pé da letra sobre comunismo/socialismo. O comunismo acabou no início das anos 90. A Rússia virou capitalista, a China ainda é comunista mas pratica o capitalismo de estado, houve uma reorganização
geopolítica dos países que antes pertenciam à União Soviética.Até Cuba e EUA estão voltando às boas. Mas o capitalismo continua firme e cada vez mais selvagem.Tenho estudado Allan Kardec e percebo que suas obras estão repletas de passagens que justificam que o progresso é tão coletivo quanto individual.A Lei da Igualdade, do Progresso, da Justiça, amor e caridade só existem em função da coexistência."Querer para os outros o que quereis para vós mesmos".Fazei aos homens tudo o que gostaríeis que eles vos fizessem. Kardec mostra assim o significado da justiça fundada sobre a lei natural.No cap IV do Livro dos Espíritos mostra que a desigualdade social é obra do homem e não de Deus.Mostra que o desejo de possuir sem limites é egoísmo. Que adquirir propriedades sem limites é legítimo, consagrado pela legislação humana imperfeita mas reprovável pela justiça natural.O espiritismo nos seus primórdios tinha uma ligação com o socialismo. Os dois se completavam.Parece que quando veio para o Brasil, Bezerra de Menezes resolveu dar uma visão conservadora para a sua prática.
Anônimo disse…
Discutir religiosidade e a evolução espiritual sem entrar no debate político sobre o capitalismo me parece espúrio. O capitalismo é baseado na exploração do homem pelo homem, e os valores capitalistas como o individualismo e a competição me parecem incompatíveis com uma sociedade mais elevada baseada na igualdade e compaixão.

Os espíritas não só podem ser comunistas como também deveriam ser, assim como qualquer pessoa que acredita em uma religião e em uma sociedade mais justa e igualitária.

E já me adiantando, comparações com a socialismo real (aquele que aconteceu na União Soviética, Cuba, Coreia do Norte, entre outros) é um debate vazio. Estes foram uma experiência do que o socialismo poderia ser, mas claramente foram fracassadas. Mas não é porque essas experiências deram errado que significa que o capitalismo foi bem sucedido, muito pelo contrário. Só mostra que devemos refletir e pensar em formas melhores, mais adequadas e igualitária de superação deste.

Eu, como espírita, estou bastante indignado com esta postagem.
Márcio disse…
Quando os espíritas descobrirão que a evolução não pode se dar exteriormente, por meio de um sistema imposto, mas apenas por volição da consciência humana individual, como é ensinado em todas as obras espíritas? Quando saberemos que o Cristo não impôs nada a ninguém? Que Ele apenas propôs Seus ensinamentos aos de Sua época, aderindo a eles os que quiseram, respeitada a total liberdade para o fazerem, já que Ele sabe que a evolução ocorre somente no âmago de cada ser (indivíduo)?
Que a caridade se dá somente no campo individual e da liberdade? Que leis impondo expropriação e aumento de tributos (dos outros) não configuram verdadeira caridade?
Que o mundo espiritual elevado não é um governo agigantado que impõe regras morais aos espíritos, mas uma reunião de consciências individuais e diferentes entre si, que livremente trabalham para Deus, visando à evolução dos demais seres?
Que o Espiritismo, condenando fortemente as injustiças, o orgulho e o egoísmo, jamais pregou o igualitarismo e que ele, como Doutrina, explica muito bem que jamais haverá igualdade na Terra, dada a diferença das capacidades individuais (meritocracia)?
Só isso já mostra o imenso abismo que separa o Espiritismo do Socialismo, pois este sempre foi imposto às sociedades, seja por meio da violência revolucionária, seja por meio da substituição da cultura vigente por uma clandestina e falsa, disfarçada do que não é: uma democracia. O socialismo rejeita os méritos e as conquistas individuais, pronunciando-se mesmo contra o próprio conceito de individualidade, querendo lançar todos os seres em um vazio coletivista.
Por ser assim, o socialismo sempre descambou e sempre descambará para o totalitarismo de ditaduras genocidas, já que ele se impõe cerceando as liberdades individuais.
Isso sem falar nos gravíssimos erros econômicos dos socialistas, o que sempre resultou na destruição econômica dos países onde ele foi implantado, aumentando a miséria e a fome dos povos lá viventes.
Não há como ver Jesus e nem Kardec de mãos dados com o socialismo.
O próprio Chico Xavier, no Programa Pinga Fogo de 1.971, chegou a bendizer os militares que defenderam o Brasil contra a imposição da ditadura do igualitarismo e do proletariado por mentes fanáticas e revolucionárias ligadas ao comunismo.
https://www.youtube.com/watch?v=98Y4ibD_XZ0
Não, meus caros, o Espiritismo não tem compatibilidade alguma com o socialismo! Ele fala ao coração dos indivíduos, não se impõe a ninguém, nem pela lei, muito menos pela força. Respeita os talentos individuais, exortando para que nos transformemos e evoluamos por meio de nossos próprios esforços (meritocracia!), transferindo a nós mesmos a responsabilidade por nossos erros e crimes, e não a uma classe diferenciada e alheia (coletivismo).
Concluindo, o espírita, como alguém que respeita a liberdade, preza o indivíduo, ama a meritocracia e dentro da política age no campo das ideias, jamais no da imposição. Assim, a meu ver, torna-se frontalmente contrário ao socialismo, a antítese de tudo isso.
Andre Cavalcante disse…
Olá,


@Michayllon

"Realmente, quando vemos que nas cidades espirituais são fundamentais a meritocracia e a liberdade individual para a evolução do Ser, não há como compreender espiritismo e comunismo juntos, pelo menos não com o comunismo real que conhecemos e o nosso atual estagio evolutivo."

Não está claro como é a estrutura de pode nas colônias. O que se sabe é que o Governador de Nosso Lar está lá há mais de um século. Em outras palavras, ele foi para lá não como eleito e, provavelmente, só sairá da função para tomar responsabilidades maiores.


"Talvez nos planos superiores, em que o egoismo, a ganancia,o orgulho, a invigilancia e a preguiça não mais imperam, os espíritos vivam num comunismo ideal onde todos tem a mesma responsabilidade e deveres em relação à harmonia e evolução universal."

É difícil analisar o superior com base na nossa inferioridade, mas essa sua frase parte de um pressuposto católico e não espírita, de que os mundos superiores e felizes todos são "iguais". Pelos princípios espíritas, quanto mais superior é a criatura, mas senhora de si é, e mais diferente das demais, principalmente em relação às criaturas inferiores.

De fato, o nosso mundo corrobora essa essência: na Terra primitiva, quase todos eram "escravos da terra": ou se trabalhava na agricultura/pecuária/caça/pesca/extrativismo ou se morria de fome. Na Terra de provas e expiações, a divisão do trabalho já faz a mágica da criação de ocupações e responsabilidades que não podiam nem ser imaginadas a coisa de um século atrás e que existem hoje. Imagina como será no futuro? Portanto, não, o futuro não é um comunismo com todos "tendo as mesmas responsabilidades e deveres". Isso é a visão católica do paraíso dos anjos e santos. A visão espírita é que os mundos felizes são variados, o bem predomina sobre o mal e o bem é o mais variado possível, - infinito em suas expressões, conforme ensinam os Espíritos Superiores.

Para completar, lembremos de o ESE: "Deus criou todos os homens iguais para a dor. Pequenos ou grandes, ignorantes ou instruídos, sofrem todos pelas mesmas causas, a fim de que cada um julgue em sã consciência o mal que pode fazer. Com relação ao bem, infinitamente vário nas suas expressões, não é o mesmo o critério. A igualdade em face da dor é uma sublime providência de
Deus, que quer que todos os seus filhos, instruídos pela experiência comum, não pratiquem o mal, alegando ignorância de seus efeitos." - O Dever - Capítulo XX - Sede Perfeitos.

Andre Cavalcante disse…
@Anônimo de 23 de abril.

Na verdade não há muito o que falar sobre Nazismo e Fascismo. São todas variantes de um mesmo princípio coletivista.

O princípio básico de todos esses ismos é o mesmo: coletivismo, isto é, a crença que a sociedade é e deve ser o direcionador do indivíduo. O contrário disso, é o individualismo, isto é, a cresça que a sociedade é produto do ser individual.

O Espiritismo, obviamente, é individualista.

Para que o coletivismo possa ser implantado só há uma maneira: impor a vontade coletiva sobre o indivíduo, o que só pode ser feita através de intervenções, mais ou menos profundas, na vida individual e na vontade da criatura.

Entre esses extremos há inúmeros pontos em que se aceita um pouco disso e um pouco daquilo, consoante algum critério nebuloso. Por exemplo, o Fascismo admite que é o governo quem deve comandar a economia. Admite, portanto uma iniciativa privada (vontade individual), mas essa iniciativa privada deve ser direcionada pelo governo - é a essência do que vivemos hoje no mundo em quase todos os países democráticos.

O Nazismo, ou, como o seu nome diz, nacional socialismo, visa fazer esse dirigismo de duas formas: por meio de uma mudança na ideologia e por meio da violência.

O socialismo é uma forma mais profunda, com uma elite dominando o partido no poder que deve fazer a transição de uma sociedade livre para a sociedade dirigida, logicamente, pelos "escolhidos".

O comunismo é só a forma mais completa do coletivismo.

Aliás, não há como sobrepujar a vontade individual se não for por essas duas formas: ou pela aceitação do indivíduo que passa a responsabilidade de sua vida a outra pessoa, ou por meio da violência contra aqueles que não aceitam tal dirigismo.

E é por isso que todas essas formas levam, cedo ou tarde, à violência.

Andre Cavalcante disse…
@Cecília

"Olá, meu nome é cecília, achei bastante interessante o assunto debatido e gostaria de participar."

Seja bem vinda!

"Não sei se nos dias de hoje cabe esta discussão tão ao pé da letra sobre comunismo/socialismo. O comunismo acabou no início das anos 90. A Rússia virou capitalista, a China ainda é comunista mas pratica o capitalismo de estado, ..."

Para você admitir que o comunismo acabou com a queda da URSS, então você admite que aquilo era comunismo. Guarde isso!

"Mas o capitalismo continua firme e cada vez mais selvagem."

Aqui caberia a pergunta: o que é esse capitalismo selvagem? Vamos ver se é realmente capitalismo ou outra coisa...

"Tenho estudado Allan Kardec e percebo que suas obras estão repletas de passagens que justificam que o progresso é tão coletivo quanto individual."

O progresso é sempre individual; o coletivo é consequência do progresso individual. Kardec reitera isso inúmeras vezes em todas as suas obras.

"A Lei da Igualdade, do Progresso, da Justiça, amor e caridade só existem em função da coexistência."

Você já leu e estudou esses pontos de o L.E? O capítulo da Lei de Igualdade, trata de o porque sermos iguais perante Deus e o porque sermos tão diferentes uns dos outros. A Lei de Progresso trata justamente do progresso individual. O capítulo sobre a Lei de Justiça, Amor e Caridade trata do conceito de propriedade (privada, obviamente) e da aplicação de tal conceito sobre direitos e deveres. Aliás, o capítulo é uma chamada para o dever moral da criatura para consigo mesmo e para com o próximo. Sim, tais comportamentos ajudam na coexistência, mas elas existem por serem Leis Naturais e não em função da coexistência.


"Querer para os outros o que quereis para vós mesmos.Fazei aos homens tudo o que gostaríeis que eles vos fizessem. Kardec mostra assim o significado da justiça fundada sobre a lei natural.No cap IV do Livro dos Espíritos mostra que a desigualdade social é obra do homem e não de Deus."

É a Regra de Ouro de Jesus: tomar como o agir ético individual, o receber ético dos demais. Como diria Jesus: por causa da dureza dos vossos corações...".

"Mostra que o desejo de possuir sem limites é egoísmo. Que adquirir propriedades sem limites é legítimo, consagrado pela legislação humana imperfeita mas reprovável pela justiça natural."

Oops...

do L.E.:

"881. O direito de viver dá ao homem o de acumular bens que lhe permitam repousar quando não mais possa trabalhar?
“Dá, mas ele deve fazê-lo em família, como a abelha, por meio de um trabalho honesto, e não como egoísta. Há mesmo animais que lhe dão o exemplo de previdência.”

882. Tem o homem o direito de defender os bens que haja conseguido juntar pelo seu trabalho?
“Não disse Deus: ‘Não roubarás?’ E Jesus não disse: ‘Dai a César o que é de César?’

Nota de Kardec: O que, por meio do trabalho honesto, o homem junta constitui legítima propriedade sua, que ele tem o direito de defender, porque a propriedade que resulta do trabalho é um direito natural, tão sagrado quanto o de trabalhar e de viver.

883. É natural o desejo de possuir?
“Sim, mas quando o homem deseja possuir para si somente e para sua satisfação pessoal, o que há é egoísmo.”
a) — Não será, entretanto, legítimo o desejo de possuir, uma vez que aquele que tem de que viver a ninguém é pesado?
“Há homens insaciáveis, que acumulam bens sem utilidade para ninguém, ou apenas para saciar suas paixões. Julgas que Deus vê isso com bons olhos? Aquele que, ao contrário, junta pelo trabalho, tendo em vista socorrer os seus semelhantes, pratica a lei de amor e caridade, e Deus
abençoa o seu trabalho.”

--- Continua ---
Andre Cavalcante disse…
"884. Qual o caráter da legítima propriedade?
“Propriedade legítima só é a que foi adquirida sem prejuízo de outrem.”

Nota de Kardec: Proibindo-nos que façamos aos outros o que não desejáramos que nos fizessem, a lei de amor e de justiça nos proíbe, ipso facto, a aquisição de bens por quaisquer meios que lhe sejam contrários.
---

Em suma: adquirir propriedades é necessário para a subsistência do homem; defendê-la é não só necessário como lhe é um direto natural; que o desejo de possuir está na natureza; que a verdadeira propriedade é aquela que o homem adquire pelo seu trabalho, e que sua propriedade deve servir não só para satisfação do seu egoísmo, mas como um fim útil ao seu semelhante.
Praticamente o oposto do que tu afirmaste. Interessante, não?


"O espiritismo nos seus primórdios tinha uma ligação com o socialismo. Os dois se completavam.Parece que quando veio para o Brasil, Bezerra de Menezes resolveu dar uma visão conservadora para a sua prática."

O espiritismo nunca teve ligação com o socialismo nos seus primórdios. Ao contrário, Kardec rechaçava quaisquer ligações com essas ideias novas. Em A Gênese, há várias passagens que corroboram isso e mesmo um texto que os espíritos falam de um certo Sr. M. que a tradição espírita remonta a Marx.

Se você admite que o comunismo acabou com a queda da URSS é porque admite que aquilo é o comunismo, ou seja, uma tentativa de dirigir o indivíduo a partir de um governo central totalitário. Então, não pode haver união de tais princípios aos princípios espíritas do desenvolvimento individual.
Andre Cavalcante disse…
@Marcio

Publiquei esta postagem em 2012. Agora é 2016. Já são 4 anos e não esperava que fosse ter tanta repercussão.

Se você reparar, a maior parte das pessoas que comentam, ainda não se perceberam o contraditório que é isso: Espiritismo e Socialismo. Não as culpo, essas ideias foram cultivadas em suas mentes pelas escolas desde crianças e mesmo nos Centros Espíritas e nas Escolas de Evangelização, a noção de responsabilidade pelos seus atos, e do homem como construtor de seu futuro, ainda é falha.

Abraços
Márcio disse…
Olá André.
Concordo. A cultura no Brasil vem sendo deturpada de tal maneira pelos sistemas (des)educacionais e pela mídia, que nós não conseguimos mais raciocinar fora do viés esquerdista em nenhuma das atividades que venhamos a desenvolver: religiosa, profissional, familiar, acadêmica, etc...
Por isso eu o parabenizo pela iniciativa de discutir esse assunto complicado, visando separar o joio do trigo.
Espero ter contribuído e peço perdão caso tenha me excedido algum momento em meus comentários.

Grande abraço!
Guilty disse…
Adorei a postagem e os comentários em alto nível!
Discordo dos argumentos de que o comunismo matou não sei quantos milhões de pessoas ao redor do mundo e qtas pessoas morrem diariamente por conta do capitalismo? (afinal, vemos fome, miséria e tantas outras coisas ruins, devido ao materialismo e a ganância de empresas e governos)...não tomem o comunismo por aqueles que o usaram para atender aos seus desejos e anseios. O comunismo em sua essência trata de uma vida em coletividade em que todos tenham as mesmas condições e definam juntos as regras dessa sociedade, sem necessariamente um líder que dite as regras, quer algo mais democrático que isso?
Marx mesmo diz que caminhamos para isso, quando estivermos prontos...e acredito muito nisso...vivemos hoje em um mundo de provas e expiações e somente em um modelo capitalista encontramos as condições para que possamos vivenciar nossas provações...mas, a partir do momento que evoluirmos, não precisaremos mais dessas ferramentas...poderemos viver coletivamente, através de uma carga de meritocracia, pois se vc produz, vc recebe de acordo com o que produziu, vide como é no Nosso Lar, com o bônus hora...mas, os líderes não tomam decisões pautadas em seus interesses ou coisa que o valha, tudo é pelo coletivo e é sobre isso que trata o comunismo...problema é que ele foi mal aplicado por pessoas que não tinham o desejo do bem estar de todos e o nome em si ganhou uma carga muito negativa...mas vejo que as ideias comunistas fazem parte sim, da nova configuração que adotaremos qdo mais evoluídos...hj, para fins expiatórios, o capitalismo é a ferramenta ideal...tudo tem seu tempo.
Parabéns a todos que civilizadamente discutem suas ideias!
Um abraço.
Andre Cavalcante disse…
"Discordo dos argumentos de que o comunismo matou não sei quantos milhões de pessoas ao redor do mundo"

Isso você não pode discordar porque são dados históricos. Todos os regimes comunistas da Terra tiveram ou tem um alto grau de violência e morte contra a população sob o regime e, ao contrário do capitalismo, é sim possível levantar tais dados (quando o governo mesmo os emite).

"qtas pessoas morrem diariamente por conta do capitalismo? (afinal, vemos fome, miséria e tantas outras coisas ruins, devido ao materialismo e a ganância de empresas e governos)..."

Primeiro não é possível fazer essa associação como estás colocando. Ha países pobres e ricos. Há países mais livres e menos livres e todos, em princípio, capitalistas. Nos países ricos, o número de mortes é mais devido à guerras (ou seja, ações de governo). A conta que temos por certa é que a população humana, no início do século estava por volta de 1 bilhão. Um século depois está em 8 bilhões. Interessante esse sistema que dizem mata pessoas de fome, no entanto, o mal do século é justamente a obesidade (excesso de comida).

"não tomem o comunismo por aqueles que o usaram para atender aos seus desejos e anseios. O comunismo em sua essência trata de uma vida em coletividade em que todos tenham as mesmas condições e definam juntos as regras dessa sociedade, sem necessariamente um líder que dite as regras, quer algo mais democrático que isso?
Marx mesmo diz que caminhamos para isso, quando estivermos prontos...e acredito muito nisso...vivemos hoje em um mundo de provas e expiações e somente em um modelo capitalista encontramos as condições para que possamos vivenciar nossas provações...mas, a partir do momento que evoluirmos, não precisaremos mais dessas ferramentas..."

Essa forma de pensar é chamada de falácia do nirvana. Você está comparando um capitalismo real (que produz desigualdades sociais) com um comunismo ideal e, obviamente, nunca alcançado ou mesmo nunca alcançável. Comunismo real é muito pior que o capitalismo.

(--- continua ---)
Andre Cavalcante disse…
(-- continuação --)


"poderemos viver coletivamente, através de uma carga de meritocracia, pois se vc produz, vc recebe de acordo com o que produziu, vide como é no Nosso Lar,"

Interessante o pensamento. Esse mote de "receber conforme o que produziu" é do capitalismo (para que cada um receba pelo que produziu é necessário direito de propriedade - a produção tem que ser "sua" para você dispô-la conforme queira) e não do comunismo, que diz: "de cada qual segundo a sua capacidade; a cada qual segundo suas necessidades".

Sobre Nosso Lar - é uma cidade brasileira, com várias das características das cidades brasileiras: fundada por portugueses, mantém uma divisão política baseada em ministérios, possui sistema de transporte, águas, indústrias, direito de propriedade e herança, etc. e, permeando tudo isso, uma moeda: o bônus-hora. Detalhe. Não há democracia. O governador está lá a mais de 100 anos. Os ministros foram escolhidos pelo governador. Não há eleições, não há câmera dos deputados, nem agências reguladoras (o sistema de água, por exemplo, está subordinado diretamente ao ministério mais evoluído da cidade). Também não há impostos e nada dessas coisas que só servem para engendrar corrupção. Com um detalhe, os governantes dão o exemplo. As pessoas trabalham em diversos setores, aqueles que elas mais se afinam por puro voluntarismo (ninguém é obrigado a trabalhar no que não quer) - e ganham por isso.


"tudo é pelo coletivo e é sobre isso que trata o comunismo..."

Nop! Nada é pelo coletivo em Nosso Lar. Tudo é pela evolução INDIVIDUAL. Ação e reação! É sempre individual. Você trabalha para o coletivo, e não pelo coletivo. Há muita diferença no conceito. Agora, o comunismo sim é que é tudo pelo coletivo.

"problema é que ele foi mal aplicado por pessoas que não tinham o desejo do bem estar de todos e o nome em si ganhou uma carga muito negativa...mas vejo que as ideias comunistas fazem parte sim, da nova configuração que adotaremos qdo mais evoluídos...hj, para fins expiatórios, o capitalismo é a ferramenta ideal...tudo tem seu tempo."

Essa é um ideia errônea e perigosa. O comunismo não pode ser implantado sem uso da força e coerção. Não enquanto os humanos tiverem vontade própria. Também é economicamente impossível o planejamento central total da economia. Na verdade, mesmo um planejamento parcial já se demonstra impossível. E isso por uma lei natural. Achar que o comunismo nunca foi implantado é que é o erro perigoso. Ele já foi sim, o que foi possível de se fazer e a consequência foi muito danosa.

Abaços
Márcio disse…
O assunto está muito bom. Eu não consigo deixar de participar deste tópico.

A cada novo comentário feito surge a possibilidade de aprofundarmos o tema. Então, vamos lá, mais uma vez:

Andre Cavalcante disse: "...Também é economicamente impossível o planejamento central total da economia. Na verdade, mesmo um planejamento parcial já se demonstra impossível. E isso por uma lei natural. Achar que o comunismo nunca foi implantado é que é o erro perigoso. Ele já foi sim, o que foi possível de se fazer e a consequência foi muito danosa."

Ora, essa é a base do Cálculo Econômico de Mises, que refutou definitivamente o socialismo/comunismo.

Só a título de complementação:

O Cálculo Econômico de Mises foi comprovado na prática pelas ações dos próprios governos comunistas. O resultado foi este:
http://www.bresserpereira.org.br/terceiros/2011/11.03.fome_que_matou_chineses.pdf

Há estudos que sugerem que o número de mortos na China foi ainda maior.

E a China não foi o único lugar no mundo em que pessoas morreram de fome por conta de um planejamento ultra centralizado e totalitário. Estudiosos estimam que na URSS morreram de fome em torno de 20 a 30 milhões de pessoas também em função da implantação de medidas governamentais na mesma linha de pensamento.

Isso é o que acontece quando políticos usam as teses comunistas para gerir as nações. E notem que nesse ponto não se tratava de guerra, de luta, de nenhum confronto para tomada do poder pelos revolucionários, pois o socialismo já estava implantado, reinando absoluto nesses territórios. Esse morticínio todo ocorreu em tempos de paz, em um momento em que os políticos comunistas visavam fazer o melhor para o seu povo.


V.M. disse…
Isso aqui é um desfile de achismos e preconceitos. Pelo amor de Deus, leiam, estudem... Lembrem do que o próprio Kardec falou: "Sigam a ciência".
Marcos disse…
Comunista e espírita aqui.

Realmente é complicado debater posições políticas e espiritismo, pois há mais paixões do que ciência, e acaba se tornando um discurso vazio.

Corrigindo algumas coisas que postaram aqui:

1) Marx, em "O Capital" se preocupou em explicar como funciona o capitalismo. Embora foi a maior obra à sua época sobre o assunto, o livro é muito mal interpretado. Ademais, Marx não se preocupou em detalhar como seria uma sociedade socialista/comunista, apenas esboçou uns parágrafos no livro "Crítica ao Programa de Gotha".

2) Complicado citar autores da Escola Austríaca de economia num debate sério. Muitos dizem que Böhm-Bawerk e Mises refutaram Marx. Nada mais errado. O primeiro apenas explicou como funciona a preferência temporal e os juros em uma sociedade capitalista. Não existe conexão nenhuma entre isso e "refutar Marx", como alguns incautos repetem Internet afora; já o segundo, causa furor até hoje por ter levantado o problema do cálculo econômico no socialismo. No entanto, a análise é cheia de erros e furos que sabotam a própria explicação. Por exemplo, ele cita que é perfeitamente possível o comunismo em pequenas comunidades, mas não explica qual seria o tamanho disso. Com avanços na informática, esse poderia ser um problema do passado. Além de que não há nenhum problema sobre alocação de recursos para bens de capital (segundo ele, esse seria o ponto a ser refutado). Tanto soluções com bônus-hora, quanto cálculo em espécie já foram propostos e funcionariam sem maiores problemas.

3) Citaram 100 milhões, 300 milhões de mortos no século passado. Olha, esses dados variam muito, mas "O Livro Negro do Comunismo" também é cheio de furos, além de ser propaganda macartista declarada. O número de mortos foi bem menor do que esse. Ao contrário dos horrores nazistas, onde havia uma máquina de morte, nunca foi achado algo semelhante na União Soviética. Gulags tinham uma taxa de mortalidade maior, mas para alguém matar 50 milhões de pessoas em alguns anos, precisaria de muito mais do que isso.

4) Socialismo representa uma reorganização entre os trabalhadores, onde o capital é de toda sociedade, e onde a distribuição do que é produzido é mais justa do que no atual sistema. De modo que não haja concentração de um lado e privação de necessidades básicas do outro. Não há nada de utopia nessa ideia.

5) Esquece-se que o atual sistema é injusto ao extremo, e quando fala-se em socialismo/comunismo, vem um monte de gente criticar as experiências passadas, mas esquecem-se que exatamente uma variação deste sistema existirá em um mundo de regeneração. Um mundo menos materialista e mais justo, onde todas as obras são importantes (ao contrário de hoje, onde alguns trabalhos extremamente necessários são desvalorizados), onde a tecnologia e o aprendizado são comuns e ubíquos. Com isso, dispensa-se a necessidade de uma classe burocrata controladora, como nas experiências passadas. Deixemos a ciência e a tecnologia informar, de uma maneira simples, onde e quanto necessita-se produzir. Deixemos no passado a vontade de servir aos outros apenas por interesse próprio. Penso eu que, em um mundo mais evoluído, dar o melhor de si ao resto do mundo será mais gratificante, pois na medida que você dá, você também recebe dos outros. Todos somos dependentes de todos.
Andre Cavalcante disse…


Olá Marcos

Interessantes as suas colocações.

No entanto, você descreveu 5 pontos e nenhum deles chegou no cerne da questão que coloquei no post e que é: "é incoerente haver espíritas comunistas, porque a Doutrina Espírita é individualista, defende a propriedade privada, é uma religião que usa do conceito de evolução para modificar o homem, enquanto os princípios comunistas são pautados na coletivização, na ausência da propriedade privada, é contrária à religião e quer criar um novo homem no processo de socialização".

Não tenho absolutamente nada contra a sua posição política, podes tê-la a vontade (ela é sua - portanto não me diz respeito - olha aí o individualismo). Somente digo, e reitero, que é incoerente essa posição política em relação à crença na Doutrina Espírita.

Sobre seus pontos os replicarei um a um, depois.

Abraços


Andre Cavalcante disse…
@Marcio

Olá, respondendo aos seus pontos

"1) Marx, em "O Capital" se preocupou em explicar como funciona o capitalismo. Embora foi a maior obra à sua época sobre o assunto, o livro é muito mal interpretado. Ademais, Marx não se preocupou em detalhar como seria uma sociedade socialista/comunista, apenas esboçou uns parágrafos no livro "Crítica ao Programa de Gotha""

Os Manuscritos Econômicos e Filosóficos de 1844 dão um retrato bem interessante do processo de implantação do comunismo. Esses manuscritos nunca foram publicados por Marx e só nos chegaram às nossas mãos após a sua morte. O ensaio Propriedade Privada e Comunismo, esse sim contém uma descrição mais detalhada da sociedade comunista segundo a sua utópica visão. E, por fim, Crítica ao Programa de Gotha, de 1875, conforme você citou.

Marx realmente não se preocupou muito em explicar como se alcançaria uma sociedade socialista e esse é um dos problemas com sua obra, pois deixa a quem pegar a sua filosofia a escolha dos meios. Até agora os meios usados foram todos baseados no intervencionismo e na violência.

No entanto, no ensaio Propriedade Privada e Comunismo, Marx cita o que seria um comunismo grosseiro, fase inicial da implantação do comunismo:

"Esse movimento que tende a opor a propriedade coletivizada à propriedade privada se exprime de uma forma completamente animal quando contrapõe o casamento (que é, evidentemente, uma forma de propriedade privada exclusiva) à coletivização das mulheres: quando a mulher torna-se uma propriedade coletiva e abjeta. Pode-se dizer que essa ideia da coletivização das mulheres contém o segredo dessa forma de comunismo ainda grosseiro e desprovido de espírito. Assim como a mulher deve abandonar o casamento em prol da prostituição geral, o mesmo deve acontecer com o mundo da riqueza, o qual deve abandonar sua relação de casamento exclusivo com a propriedade privada para abraçar uma nova relação de prostituição geral com a coletividade."

Agora, vai me dizer que é defensável um doutrina que promova a aberração de que as mulheres devem se prostituir para se acabar com a família e a propriedade privada?

Andre Cavalcante disse…

(continuando...)

@Marcos

Olá novamento

"2) Complicado citar autores da Escola Austríaca de economia num debate sério. Muitos dizem que Böhm-Bawerk e Mises refutaram Marx. Nada mais errado. O primeiro apenas explicou como funciona a preferência temporal e os juros em uma sociedade capitalista. Não existe conexão nenhuma entre isso e "refutar Marx", como alguns incautos repetem Internet afora; já o segundo, causa furor até hoje por ter levantado o problema do cálculo econômico no socialismo. No entanto, a análise é cheia de erros e furos que sabotam a própria explicação. Por exemplo, ele cita que é perfeitamente possível o comunismo em pequenas comunidades, mas não explica qual seria o tamanho disso. Com avanços na informática, esse poderia ser um problema do passado. Além de que não há nenhum problema sobre alocação de recursos para bens de capital (segundo ele, esse seria o ponto a ser refutado). Tanto soluções com bônus-hora, quanto cálculo em espécie já foram propostos e funcionariam sem maiores problemas."

Interessante. Muitos dizem que o Mises nunca refutou Marx. Ao se ler O Cálculo Econômico sob o Socialismo, a razão que Mises coloca é irretocável. Já li algumas coisas contrárias, mas ainda não vi nada que abomine a obra de Mises.

Sobre se é possível uma sociedade comunista, a resposta óbvia é que sim, ou melhor, o que se pode implementar do comunismo em uma sociedade. Isso já temos de experiências reais. Infelizmente não muito boas.

Por outro lado, sei muito bem, por formação, o que a informática pode nos oferecer e não, não é possível o cálculo econômico ou a alocação de recursos, na escala necessária para se planificar uma economia qualquer, mesmo usando computadores quânticos. E isso pode ser demonstrado facilmente: seja T o número de tarefas para a execução de uma produto qualquer, seja R o número de recursos disponíveis e seja P os tempos disponível para a execução das tarefas usando os recursos, a alocação ótima pode ser obtida facilmente por busca em profundidade. A busca em profundidade vai buscar a melhor solução gerando-se cada uma das possíveis possibilidades entre T, R e P. O algoritmo é trivial. Porém, o número de situações em que o algoritmo deve pesquisar é T elevado a R elevado a P. Digamos que T é 10, R é 5 e T é 8 (8h de trabalho). Então a solução é encontrada, no pior caso, após 10 elevado a 5 elevado a 8, o que dá 10 elevado a 390625, ou seja, 1 seguido de 390625 zeros, de possibilidades. Isso é milhares de vezes a idade conhecida do Universo. Portanto, não é que não tenha solução, ela é simplesmente inviável. E olha que usei números baixos. Empresas usam números muito superiores em seus estoques, recursos etc. Imagina agora fazer isso para a Terra toda?

Andre Cavalcante disse…

(continuação)

"3) Citaram 100 milhões, 300 milhões de mortos no século passado. Olha, esses dados variam muito, mas "O Livro Negro do Comunismo" também é cheio de furos, além de ser propaganda macartista declarada. O número de mortos foi bem menor do que esse. Ao contrário dos horrores nazistas, onde havia uma máquina de morte, nunca foi achado algo semelhante na União Soviética. Gulags tinham uma taxa de mortalidade maior, mas para alguém matar 50 milhões de pessoas em alguns anos, precisaria de muito mais do que isso."

Não sei se o Livro Negro do Comunismo tem furos ou não. Não o li. Mas esse aqui é bem interessante. Ele é metódico nas contas e leva a questão não apenas aos regimes comunistas, mas a todos os regimes: Death by Government

Eu, particularmente, deploro qualquer regime político que mate qualquer um de seus cidadão, direta ou indiretamente. Portanto, sou particularmente crítico ao regime brasileiro, que se diz democrático e popular, mas deixa a população se matando como em uma guerra. Capitalismo de estado sem caridade também um regime (só que econômico) deplorável.


Andre Cavalcante disse…
(continuação)

"4) Socialismo representa uma reorganização entre os trabalhadores, onde o capital é de toda sociedade, e onde a distribuição do que é produzido é mais justa do que no atual sistema. De modo que não haja concentração de um lado e privação de necessidades básicas do outro. Não há nada de utopia nessa ideia."

Essa comparação é chamada de falácia do nirvana em que você compara uma boa intenção de um comunismo utópico com o sistema atual (capitalismo de estado), o qual produz desigualdades e injustiças.

O pensamento errôneo sobre isso é que o capital não pode ser de toda a sociedade. Por definição a posse de algo (o que dá o destino/uso para esse algo) é o que define a propriedade. O capital, por escasso, sempre vai ser de alguém, seja do governo ou de algum indivíduo. E isso é um dos problemas do comunismo: não define quem é o dono de nada.
Andre Cavalcante disse…
(continuação)

"5) Esquece-se que o atual sistema é injusto ao extremo, e quando fala-se em socialismo/comunismo, vem um monte de gente criticar as experiências passadas, mas esquecem-se que exatamente uma variação deste sistema existirá em um mundo de regeneração. Um mundo menos materialista e mais justo, onde todas as obras são importantes (ao contrário de hoje, onde alguns trabalhos extremamente necessários são desvalorizados), onde a tecnologia e o aprendizado são comuns e ubíquos. Com isso, dispensa-se a necessidade de uma classe burocrata controladora, como nas experiências passadas. Deixemos a ciência e a tecnologia informar, de uma maneira simples, onde e quanto necessita-se produzir. Deixemos no passado a vontade de servir aos outros apenas por interesse próprio. Penso eu que, em um mundo mais evoluído, dar o melhor de si ao resto do mundo será mais gratificante, pois na medida que você dá, você também recebe dos outros. Todos somos dependentes de todos. "

Até o momento, me ative a responder às suas colocações com opiniões pessoais, bem embasadas, mas pessoais.

Mas, neste último ponto, recorrerei às revelações dos espíritos. Se tomarmos as colônias espirituais mais avançadas ao redor da Terra como como modelo de um mundo de regeneração, o que se vê não é menos diferença, mas mais diferença; não se vê mais democracia, mas menos democracia; o que se vê é mais individualismo e menos coletivismo.

Afora a falácia do nirvana e a utopia star trek da tecnologia resolvendo todos os problemas humanos (a realidade é bem mais rica mesmo que a ficção), o teu texto é simplesmente um apanhado de boas intenções.

Essas boas intenções também aparecem na proposta espírita: fora da caridade não há salvação.

Dos sistemas econômicos já tentados pela humanidade o capitalismo foi, de longe, o melhor para se produzir bens em abundância, mas é péssimo com a distribuição. Porque não damos, então, uma chance para a proposta espírita de se criar uma sociedade que seja baseada na caridade?

A minha utopia é essa: a sociedade usa do capitalismo (livre, sem estado) para a produção de riquezas, e da caridade (individual, privada) para a distribuição dessas riquezas criadas.

A minha visão de um mundo de regeneração passa pela ficção científica, mas acima de tudo, passa pelo reconhecimento que esta será a era do espirito, da mente. E, como tal, os fatores de produção e a economia serão resolvidos com técnica, mas acima de tudo, com engenhosidade, criatividade, empreendedorismo, e, principalmente, caridade.

Caridade aqui no sentido mais amplo: beneficência, indulgência, perdão.

Numa sociedade assim, o fraco será protegido pelo forte, o pobre será, comparativamente, um rico dos dias de hoje e não haveria miseráveis. A vontade de servir ao semelhante seria a mola propulsora das ações humanas, e não somente o interesse próprio, ou melhor, o interesse próprio seria pelo bem estar do semelhante. As ações são livres, entretanto as responsabilidades são muitas.

Numa sociedade assim, a busca pelo progresso não tem limites e quem não se enquadrar vai ser relegado a mundo de expiação e provas.

E isso tudo tá no ESE, capítulo III.

Abraços e obrigado pela participação.
Luís Fernando disse…
Meu irmãos, descobri tarde esse blog. Muito alto o nível da discussão dos senhores, parabéns pela alta envergadura das ideias, conhecimento e respeito. Gostaria apenas de colocar, que ao meu ponto de vista, nunca consegui associar o comunismo e socialismo com a doutrina espírita. Isso ficou enfatizado neste momento político-econômico em que a nossa pátria atravessa. Vejo que os irmãos da esquerda, acabam, talvez como estratégia por um objetivo, colocando o pobre contra o rico, o empregado contra o empresário, o negro contra o branco, o homossexual contra o heterossexual, a mulher contra o homem, o índio contra o "homem branco", dividindo a nossa sociedade, gerando classes e criando ódio entre as mesmas. Fica claro a defensoria de criminosos, até mesmo do mais alto grau de crueldade, por crimes terríveis contra a vida humana. Muitos, na sua grande maioria, exigem a liberdade as drogas, o que já causa a morte de milhares de pessoas todos os anos, sucumbido muitas famílias. O aborto, como sempre defendido, é exigido a sua legalização, para que a mulher possa fazer sempre que quiser por ser "dona" do seu corpo, desrespeitando a vida e principalmente quebrando o curso natural de almas que precisam reencarnar neste mundo a fim de evoluir e resgatar seus débitos. Valores como família, religião, propriedade privada, autoritarismo nas ideias, conceito de gênero e não sexo masculino ou feminino, acabam contaminando a evolução do ser humano individual e coletivo. Acredito que neste momento, conforme li no livro "A Nova Ordem de Jesus" que a imposição deste regime não é a melhor solução para o Mundo, visto que há um histórico de mortes e tragédias por trás das nações onde esse regime conseguiu se instalar no poder. Tanto sofrimento as vidas humanas, impedindo a evolução do ser humano. O Capitalismo nesse momento acaba se tornando "menos letal" ao Mundo, e por motivos de valores do ser humano individual, como a ganância, o egoísmo, a vaidade e o orgulho, acabam, como em qualquer regime causando os desvios morais. Temos nossas diferenças, proporcionadas pelas vivências em várias esferas ao longo nas inúmeras encarnações. Acredito que, de alguma forma, ainda que por um milagre, mais cedo ou mais tarde, resgatando seus débitos, todos encontrarão a luz.
Anônimo disse…
Em Cuba, A Santeria, religião afro-cubana, semelhante ao cambomblé mais sincrético não foi coibida. Na URSS, o stalinismo se reconciliou com a igreja ortodoxa gerando uma distorção perigosa ao Marxismo. O espiritismo foi pesadamente influenciado pelo positivismo de Augusto Comte, a idéia de espíritos evoluídos e involuídos, o princípio da constante evolução excluindo-se do sistema as contradições do Real, por essas e outras abandonei o hermetismo Kardecista, sem nunca deixar de reconhecer o grande préstimo da codificação de Kardec, e abracei a sagrada e inclusiva Umbanda. Axé para todos e todas.
Andre Cavalcante disse…
Ao Anônimo acima:

Os princípios básicos do Candomblé não se definem por uma vertente individualista, como no Espiritismo. Neste caso, não seria nada desconcertante ver um praticante ser também comunista. Acredito que o mesmo vale para a Umbanda. Já o Espiritismo é individualista, portanto, um espírita comunista é esquisito.

No caso de Santeria (que não conheço) seria a mesma coisa?

Sobre o positivismo de Comte há alhos e bugalhos. Sim o Espiritismo começou com um processo eminentemente positivista e Kardec reitera várias vezes esse viés. Entretanto, o próprio Kardec foge do positivismo ao aceitar que eram os Espíritos os seres que se comunicavam (e que eles próprios deram o nome), aceitando então, uma verdade revelada, portanto religiosa, à ciência que estudava. A ideia de evolução segue naturalmente o pensamento em voga nos fins do século XIX, só que aplicado ao mundo espiritual. Interessante que a hierarquia dos orixás segue mais ou menos a mesma ideia das ordens e classes dos Espíritos (um segue mais uma linha natural [da natureza] enquanto o outro segue uma linha mais moral).

Não entendi a frase: "o princípio da constante evolução excluindo-se do sistema as contradições do Real". Poderia explicá-la um pouco mais?


Abraços
Anônimo disse…
". Vejo que os irmãos da esquerda, acabam, talvez como estratégia por um objetivo, colocando o pobre contra o rico, o empregado contra o empresário, o negro contra o branco, o homossexual contra o heterossexual, a mulher contra o homem, o índio contra o "homem branco", dividindo a nossa sociedade, gerando classes e criando ódio entre as mesmas. Fica claro a defensoria de criminosos, até mesmo do mais alto grau de crueldade, por crimes terríveis contra a vida humana. Muitos, na sua grande maioria, exigem a liberdade as drogas, o que já causa a morte de milhares de pessoas todos os anos, sucumbido muitas famílias. O aborto, como sempre defendido, é exigido a sua legalização, para que a mulher possa fazer sempre que quiser por ser "dona" do seu corpo, desrespeitando a vida e principalmente quebrando o curso natural de almas que precisam reencarnar neste mundo a fim de evoluir e resgatar seus débitos. Valores como família, religião, propriedade privada, autoritarismo nas ideias, conceito de gênero e não sexo masculino ou feminino, acabam contaminando a evolução do ser humano individual e coletivo."

Essa mensagem é uma ofensa tão grande que é difícil saber por onde começar.

1) Você gostaria de ser tratado como se trata os negros neste país?
2) Você gostaria de ser tratado como se trata as mulheres neste país?
3) Você gostaria de ser tratado como se trata os pobres neste país?
4) Você gostaria de ser tratado como se trata os homossexuais neste país?
5) Você gostaria de ser tratado como se trata as populações indígenas neste país?

Eu não gosto do uso da palavra privilégios, mas acho que este representa bem a imagem - ser tratado com dignidade não deveria ser um privilégio, mas um direito de todos. É preciso analisar seus privilégios dentro da sociedade para ter um mínimo de empatia ao próximo (acho que amor ainda é um conceito muito distante da nossa realidade - basta ver essa mensagem).

Ser homem, ser branco, ser rico, ser heterossexual te põe em uma posição privilegiada na sociedade Brasileira (e também mundial). Não é questão de colocar um povo contra o outro, mas é o momento de se questionar pq determinado grupo social é mais bem tratado que o outro. Pq determinado grupo social é brutalmente assassinado todos os dias na periferia sem causar nenhuma comoção nacional. Pq determinado grupo social sempre foi socialmente excluído na história brasileira e ninguém faz nada para mudar essa situação. Pq apenas sua cor de pele é suficiente para você ser mal tratado. Pq existem direitos básicos te são negados.

Eu fielmente acredito que isso não é uma questão de direita ou esquerda, mas sim de direitos humanos básicos. E direitos humanos estão diretamente ligados a espiritualidade.

Querer condições dignas no sistema criminal/prisional não é defender bandido. Eu fico assustado com pessoas religiosas defendendo o 'olho por olho, dente por dente'.

Isso sem contar a defesa de valores que são socialmente construídos como gênero e família. Questões que mudam ao longo da história a de diferentes regiões. A única real família que temos somos todos nós humanos, e gênero é uma questão tão fluida como nós, espíritos.

O mundo está mudando rapidamente e as diferenças entre gerações estão ficando cada vez maiores. E é bom relembrar que estamos passando por um importante momento de transição na terra. Talvez se atentar a essas mudanças e tentar compreendê-las seja mais efetivo para seu desenvolvimento espiritual do que frequentar reuniões espíritas.
Poulantzas disse…
Brincadeiras a parte, Kardec, no artigo um do Estatuto da Sociedade Espírita de Paris, proíbe discussões políticas na mesma. No Livro dos Espíritos em alguma parte fala que a sociedade só melhorará com o fim do orgulho e do egoísmo, e que os Espíritos que indicavam um sistema para a melhora da sociedade eram sistemáticos, ou mal intencionados, ou ingênuos.

Pra mim, estamos livres para escolher o sistema que mais nos agrada. Acredito que em um mundo perfeito a sociedade se aproximará do anarquismo, mas não o anarquismo associado a violência, como foi erroneamente propagado, e sim pela falta de relação de poder de um homem, ou entidade, sobre o outro. Justamente por todos terem se libertado do egoísmo.

Mas enfim, concordo com os Espíritos superiores e acho que o sistema social será um produto do estado dos espíritos, e não o contrário.
Poulantzas disse…
Anyway,agora tô pensando no budismo como uma alternativa favorável...
Aí posso ser comunista e budista numa boa.
Franco Pimentel disse…
"O Espiritismo, ao contrário, é individualista". Como seria isso se o Cristo, Guia e modelo para a humanidade, trás como principal receita para o mundo de regeneração, sua a lei de "amor ao próximo"? O Mundo de regeneração não seria o mundo onde não haveria fome, miséria, e tudo seria repartido conforme a consciência de cada um no bem, por que todos se preocupam com todos e, por isso mesmo, será o bem maior que o mal). Ou acaso o Espiritismo não é Cristão? O Espíritos superiores não dizem "amor à si mesmo". O Cristo Jesus une-se "coletivamente" aos demais Cristos. Entretanto, todos eles falam a mesma língua e pensam do mesmo jeito, apensar de serem individuais. Acaso encarnamos para para nos reajustar conosco mesmo ou para com os outros? Pense!
Andre Cavalcante disse…
Olá Franco Pimentel,

Primeiramente, gostei muito de suas colocações. Vamos à elas e às nossas considerações:

"'O Espiritismo, ao contrário, é individualista'. Como seria isso se o Cristo, Guia e modelo para a humanidade, trás como principal receita para o mundo de regeneração, sua a lei de "amor ao próximo"?"

É muito comum se confundir "amor ao próximo" com princípios coletivistas. Vamos aos conceitos: individualismo é o pensamento de que é o indivíduo que direciona a sociedade; o contrário do individualismo é o coletivismo, o qual é o pensamento de que é a sociedade que direciona o indivíduo. Exemplo: "sou espírita porque eu escolhi!" - pensamento individualista; "sou espírita porque fui educado para sê-lo" - pensamento coletivista.

Amor ao próximo e caridade só são possíveis (isto é, não criam uma contradição lógica) se aplicarmos o pensamento individualista, como Kardec fez.


"O Mundo de regeneração não seria o mundo onde não haveria fome, miséria, e tudo seria repartido conforme a consciência de cada um no bem, por que todos se preocupam com todos e, por isso mesmo, será o bem maior que o mal)."

Como respondi em outra questão mais acima, é muito difícil analisarmos o superior com base no nosso conhecimento inferior, contudo, há algumas coisa que os próprios Espíritos Superiores nos contam desde os tempos de Kardec e, mais recentemente pelas obras de Chico e Divaldo: quanto mais superior é mundo (e os Espíritos, logicamente), mais diferenças, mais trabalho, mais diversidade, mais alimentação (consubstanciado no amor). O indivíduo se preocupar com o bem não o torna coletivista, antes, só é completo quando for individualista.


"Ou acaso o Espiritismo não é Cristão? O Espíritos superiores não dizem "amor à si mesmo"."

Novamente, caridade, por definição, é o doar algo que seja seu (olha a propriedade privada aí!), em particular doar-se a si mesmo: o seu trabalho, o seu corpo, o seu tempo, a sua alegria etc. Isso é dever precípuo de todo Cristão e, portanto, de todo espírita. Ser espírita é ser Cristão.

Leia as Obras de Kardec, de Emmanuel, de André Luiz, de Joanna de Ângelis, Ermance Dufaux etc. e verá que eles falam exatamente o contrário do que você falou: para amar o semelhante você deve aprender a amar a si mesmo;

(continua...)
Andre Cavalcante disse…


(continuação...)

"O Cristo Jesus une-se "coletivamente" aos demais Cristos. Entretanto, todos eles falam a mesma língua e pensam do mesmo jeito, apensar de serem individuais."

Se são seres individuais, tem individualidade própria. Sim, falam a mesma língua, a língua do pensamento, mas não creio que "pensem do mesmo jeito". Conforme coloquei em uma outra resposta mais acima, é muito difícil analisar o superior com o nosso conhecimento inferior. Contudo, uma coisa é certa: esse céu idílico com todos sendo anjos, pensando do mesmo jeito, cantando glórias à Deus, é um pensamento católico e não espírita. Os Espíritos da Codificação e, mais recentemente, os Espíritos Superiores que trouxeram as mensagens sobre o mundo espiritual por intermédio de Chico e de Divaldo são pródigos em mostrar que há mais alimentação, mais trabalho, mais diferença, cada vez que se sobe os degraus da evolução (veja o capítulo que fala sobre a alimentação, no livro Nosso Lar, de André Luiz). Então, não, Jesus não deve pensar "igual" aos outros espíritos puros. Para o espírita, quanto mais superior é a criatura, maiores as responsabilidades, as suas missões e mais trabalhos realiza, portanto, não, não há essa união coletiva de mentes.


"Acaso encarnamos para para nos reajustar conosco mesmo ou para com os outros?"

Questão 132 de O Livro dos Espíritos:

132. Qual o objetivo da encarnação dos Espíritos?
R. “Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar à perfeição. Para uns, é expiação; para outros, missão. Mas, para alcançarem essa perfeição, têm que sofrer todas as vicissitudes da existência corporal: nisso é que está a expiação. Visa ainda outro fim a encarnação: o de pôr o Espírito em condições de suportar a parte que lhe toca na
obra da criação. Para executá-la é que, em cada mundo, toma o Espírito um instrumento, de harmonia com a matéria essencial desse mundo, a fim de aí cumprir, daquele ponto de vista, as ordens de Deus. É assim que, concorrendo para a obra geral, ele próprio se adianta.


Desculpe atacar as suas ilusões, mas sim, encarnamos exatamente para nos ajustarmos conosco mesmo. Concorremos para a obra geral, sim, mas isto é consequência, portanto, o Espiritismo é sim individualista. Só não vê isso quem não quer. Está nas obras básicas e nas correlatas também.

"Pense!"

Creio que fiz isso. :)

Abraços
Não acumule arroz e feijão então....

Outra, acumular não quer dizer que você é egoísta, e se todos no mundo puderem acumular as coisas? Ou seja se todos tiverem abundância? Serão todos maus??

Enquanto tivermos no mundo material sempre precisaremos acumular... Não precisamos abdicar de acumular, apenas de garantir que todos terão. É uma visão egoísta a de que somente num coletivismo forçado atingiremos a paz , etc..
Então nós podemos dizer que o capitalismo no mundo também foi deturpado.... Isso de deturpação é historinha ora fanático.
Vários marxistas fanáticos pensam diferente ao texto, ou seja, são individualistas.

Eles mesmos discordando mostra que as pessoas no pensam de forma igual e coletiva.

É se vivêssemos na utopia marxista, se o governo mandasse em nós e tudo já fosse distribuído igualmente e automaticamente, eu não exercitaria minha caridade, nem mesmo eu saberia o que seria caridade.

Logo a caridade só existe com a individualidade, a caridade não é válido que sou forçado a ser caridoso, mas sim quando eu posso escolher entre ser caridoso ou não.

O capitalismo vence o socialismo também pela descentralização, pela distribuição de tarefas. No comunismo eu que não pertenço ao governo sou proibido de servir à população, pois não posso abrir lavanderia, restaurante, etc..... Mas sim preciso ficar esperando pra ver o que o governo vai liberar pra mim. Isso é triste, miserável e ditatorial.
Anônimo disse…
Apesar de morrer de preguiça de responder alguém que se auto intitula Hugo Desmascarador que ainda por cima tem a bandeira do Brasil como foto de perfil, o debate apesar de polêmico está muito interessante.

Vou dar um testemunho a respeito de como cheguei ao ponto de colocar em cheque o sistema produtivo que vivemos. Não é um caminho fácil, nem é uma coisa que acontece do dia para noite. Desde crianças nós somos introduzidos nesse mundo baseado nos ideais de individualismo e competição, além das noções de acumulação constante. E todos esses ideais se tornam verdades inquestionáveis - principalmente quando existe um exercício diário e constante de demonização de qualquer alternativa que não pregue esses valores.

Você ver que apenas com o individualismo é possível existir a caridade é uma visão bastante primitiva. Na minha visão, o coletivismo é a expressão máxima da caridade - caridade não é doar coisas. Faço agora uma breve digressão copiando um trecho da página que discute caridade do wikipedia:

"A caridade pode ser entendida como um sentimento ou uma ação altruísta de ajuda a alguém sem busca de qualquer recompensa. A prática da caridade é notável indicador de elevação moral e uma das práticas que mais caracterizam a essência boa do ser humano, sendo, em alguns casos, chamada de ajuda humanitária. Termos afins: amor ao próximo; bondade; indulgência; perdão; compaixão."

Temos ai um paradoxo entre a defesa da individualidade e a prática da caridade em sua essência. A individualidade, ao carregar junto a si a competição e a acumulação, se opõe a noção de caridade. Não é possível pensar em amor ao próximo, compaixão, bondade enquanto competimos com nosso irmãos.

Anônimo disse…
O pulo do gato dessa compreensão se centra no estudo (acadêmico) do sistema econômico. Sempre digo que noções básicas de economia deveriam ser aprendidas no ensino fundamental e médio, é uma enorme desconstrução do mundo que conhecemos. O capitalismo molda tudo em seu entorno, estudos de antropologia indicam que o desenvolvimento capitalista tem grandes influências na organização das famílias, na organização da sociedade, em questões de gênero, sexuais e raciais. A superação de nosso estágio evolutivo envolve a superação do capitalismo, agora qual será o próximo sistema é uma resposta em aberto. O comunismo (como se apresenta nos termos teóricos, e não reais) apresenta ideais compatíveis a uma sociedade mais elevada graças a sua noção de igualdade*.

* Novamente, abro um parentese: no comunismo é possível existir livre iniciativa - mas esse deve estar alinhado as necessidades da sociedade geral, e não ter como objetivo final a acumulação. Mas é possível haver distinções sociais, mas essas são muito menores que as existentes no capitalismo.

Agora indo para um discussão menos espiritual e mais econômica. Vocês acham razoável defender o crescimento contínua sabendo que a terra tem recursos naturais limitados? A acumulação como se apresenta dos termos atuais é predatória ao meio ambiente. Precisamos de mais iphones ou de rios limpos? Precisamos de uma internet mais rápida ou menos poluição? Não estou sendo contrário ao desenvolvimento tecnológico, acho que essa posição é muito arcaica. Mas é preciso definir o que temos como prioridade. Para além disso, a incapacidade dos países centrais em reproduzir o capital faz com que se torne ainda maior a exploração dos países periféricos e das classes trabalhadoras: vide a redução dos direitos sociais e serviços públicos (que não é movimento apenas no Brasil, mas também global), para crescer você precisa tornar a produção mais barata - e isso está diretamente ligado a política de salário mínimo e direitos trabalhistas. Vocês querem a volta do crescimento com um empobrecimento da população mais vulnerável? Pois é isso que é dito em muitos relatórios econômicos, com essas palavras - vide ex-ministro Levy. E indo para um ponto ainda mais polêmico: eu não ficaria surpreso se futuramente conseguirem relacionar o golpe (ou impeachment para alguns) com essa necessidade de apertar as algemas dos países periféricos. E no final, temos o paradoxo do crescimento empobrecedor: para produzir reduzimos salários, reduzindo salários há menor demanda, com menor demanda reduz o empregos e a produção, que por sua vez tem impactos novamente nos salários, e caímos em uma linda espiral em que uma pequena classe cresce enquanto todo o restante empobrece.

Anônimo disse…
Agora indo para um discussão menos espiritual e mais econômica. Vocês acham razoável defender o crescimento contínua sabendo que a terra tem recursos naturais limitados? A acumulação como se apresenta dos termos atuais é predatória ao meio ambiente. Precisamos de mais iphones ou de rios limpos? Precisamos de uma internet mais rápida ou menos poluição? Não estou sendo contrário ao desenvolvimento tecnológico, acho que essa posição é muito arcaica. Mas é preciso definir o que temos como prioridade. Para além disso, a incapacidade dos países centrais em reproduzir o capital faz com que se torne ainda maior a exploração dos países periféricos e das classes trabalhadoras: vide a redução dos direitos sociais e serviços públicos (que não é movimento apenas no Brasil, mas também global), para crescer você precisa tornar a produção mais barata - e isso está diretamente ligado a política de salário mínimo e direitos trabalhistas. Vocês querem a volta do crescimento com um empobrecimento da população mais vulnerável? Pois é isso que é dito em muitos relatórios econômicos, com essas palavras - vide ex-ministro Levy. E indo para um ponto ainda mais polêmico: eu não ficaria surpreso se futuramente conseguirem relacionar o golpe (ou impeachment para alguns) com essa necessidade de apertar as algemas dos países periféricos. E no final, temos o paradoxo do crescimento empobrecedor: para produzir reduzimos salários, reduzindo salários há menor demanda, com menor demanda reduz o empregos e a produção, que por sua vez tem impactos novamente nos salários, e caímos em uma linda espiral em que uma pequena classe cresce enquanto todo o restante empobrece.

Outro ponto é a visão do estado ditatorial comunista: isso é visão comprada sem análise crítica. Mesmo no socialismo real, com todos seus milhões de erros, tem governos infinitamente mais democráticos que o nosso. Todas as grandes decisões cubanas são tomadas em assembleias de bairros, em que toda a população tem espaço para o debate e o voto. Indico você pesquisar um pouco melhor a respeito.

Acho que essa é uma das grandes pontos do espiritismo, a noção de ciência. Então busquem conhecimento, estudem, questionem. E não se alimentem do que te dão pronto. Vão mais fundo, procurem conhecimentos que te desafiam. Não tenham preconceitos, e tentem entender o que para você parece errado. Nós somos moldados desde a infância, e muitas vezes desconstruir conceitos que para nós são verdades imutáveis é difícil e causa uma reação contrária de completa negação no lugar da tentativa de compreensão.
Andre Cavalcante disse…
Olá Anônimo

"Você ver que apenas com o individualismo é possível existir a caridade é uma visão bastante primitiva."

Vamos ver...


"Na minha visão, o coletivismo é a expressão máxima da caridade"

Da Wikipedia: "Coletivismo é qualquer perspectiva filosófica, política, religiosa, econômica ou social que enfatiza a interdependência de todos os seres humanos. Coletivismo é um elemento cultural básico da natureza humana que existe como o inverso do individualismo. Coletivistas salientam a importância da coesão no seio dos grupos sociais e, em alguns casos, a prioridade dos objetivos do grupo são mais importantes que objetivos individuais"

Já o individualismo "é um conceito político, moral e social que exprime a afirmação e a liberdade do indivíduo frente a um grupo, à sociedade ou ao Estado."

Ou seja, o coletivismo prega que a sociedade é definidora do ser humano. O individualismo prega que o ser humano é definidor da sociedade.

E olha que a Wikipedia não é uma boa fonte para esse tipo de conceito.


"caridade não é doar coisas."

É também: caridade é dar coisas e, principalmente, doar a si mesmo.

L.E. Q. 886. Qual o verdadeiro sentido da palavra caridade, como a entendia Jesus?
“Benevolência para com todos, indulgência para as imperfeições dos outros, perdão das ofensas.”
Nota de Kardec: O amor e a caridade são o complemento da lei de justiça, pois amar o próximo é fazer-lhe todo o bem que nos seja possível e que desejáramos nos fosse feito. Tal o sentido destas palavras de Jesus: Amai-vos uns aos outros como irmãos.


"Faço agora uma breve digressão copiando um trecho da página que discute caridade do wikipedia:
"A caridade pode ser entendida como um sentimento ou uma ação altruísta de ajuda a alguém sem busca de qualquer recompensa. A prática da caridade é notável indicador de elevação moral e uma das práticas que mais caracterizam a essência boa do ser humano, sendo, em alguns casos, chamada de ajuda humanitária. Termos afins: amor ao próximo; bondade; indulgência; perdão; compaixão."
Temos ai um paradoxo entre a defesa da individualidade e a prática da caridade em sua essência."

Caridade, por definição (definição dos Espíritos Superiores) só é possível se executado pelo indivíduo. Isto é lógico. Está claro. Se não aceitas, paciência. Você pode chamar vermelho de amarelo, se quiser, mas não vai fazer o vermelho virar amarelo porque quer. Não confunda individualidade e individualismo

"A individualidade, ao carregar junto a si a competição e a acumulação,"

Ooops. O único pensador que fez essa união de individualidade e acumulação foi Marx.


"se opõe a noção de caridade."

Oops, novamente.

"Não é possível pensar em amor ao próximo, compaixão, bondade enquanto competimos com nosso irmãos. "

Competição é simplesmente uma outra forma de organização social, juntamente com a cooperação, e a hierarquização. Todas elas são usadas na formação da sociedade humana. Antes de discutir certos conceito é sempre bom estarmos bastante cientes deles.

Andre Cavalcante disse…
Vou assumir que se trata do mesmo Anônimo.

"O pulo do gato dessa compreensão se centra no estudo (acadêmico) do sistema econômico...
O capitalismo molda tudo em seu entorno, estudos de antropologia indicam que o desenvolvimento capitalista tem grandes influências na organização das famílias, na organização da sociedade, em questões de gênero, sexuais e raciais."

A noção de família se perde no tempo. As primeiras famílias humanas, quando unidas formavam clãs nômades. Ao se estabelecerem em regiões férteis e com o desenvolvimento da agricultura apareceu o primeiro elemento do que seria o futuro capitalismo: a propriedade privada. O capitalismo natural é o que se desenvolveu por meio de trocas (escambo) e com o advento da propriedade privada. O que você chama de grande influência do capitalismo, nada mais é que a aplicação do conceito de propriedade privada em larga escala. Por exemplo, ao escolher a minha esposa, excluo, de imediato, todas as demais mulheres do mundo que poderiam procriar comigo; ao levá-la para uma casa e montar uma família, temos mais um exemplo de exclusão social, pois a família só existe dentro do lar, da casa, que é um propriedade daquela família, em especial, dos pais, portanto propriedade privada. Essa coisas são tão coloquiais e comuns que ninguém pensa muito o quão importante se tornam certos valores.


"A superação de nosso estágio evolutivo envolve a superação do capitalismo,"

Por quê? Por quê o capitalismo, com o seu conceito de propriedade privada, livre iniciativa e trocas voluntárias seria um atraso ou algo ruim para o nosso próximo estágio evolutivo? E que seria esse nosso próximo estágio evolutivo?

"agora qual será o próximo sistema é uma resposta em aberto. O comunismo (como se apresenta nos termos teóricos, e não reais) apresenta ideais compatíveis a uma sociedade mais elevada graças a sua noção de igualdade*."

Ooops. Comunismo, idealmente é o fim da propriedade privada, notadamente dos fatores de produção. O fim da propriedade privada é o fim da família como a conhecemos e um recrudescimento do egoísmo. Geralmente comunistas não são bons de lógica. Eles se contradizem muito.

"* Novamente, abro um parentese: no comunismo é possível existir livre iniciativa - mas esse deve estar alinhado as necessidades da sociedade geral, e não ter como objetivo final a acumulação. Mas é possível haver distinções sociais, mas essas são muito menores que as existentes no capitalismo."

Não disse que comunistas não são bons de lógica? Se há uma livre inicia Sempre digo que noções básicas de economia deveriam ser aprendidas no ensino fundamental e médio, é uma enorme desconstrução do mundo que conhecemos. tiva, então há individualismo, portanto propriedade privada. Se essa livre iniciativa deve estar alinhada com a sociedade é porque a sociedade está definindo a inciativa, portanto não há livre iniciativa, há somente definição da sociedade sobre o indivíduo, portanto coletivismo. Então, ou é uma coisa, ou é outra: ou há livre iniciativa e, portanto, o indivíduo é livre para fazer o que quer, portanto individualismo, ou há direcionamento da sociedade, portanto coletivismo, portanto, não há livre iniciativa. É logicamente impossível, portanto, haver comunismo e livre iniciativa conjuntamente.

Outra incoerência: se há alguma diferença ou distinção social (de qualquer tipo ou matiz) então há diferença entre os indivíduos, portanto, não há igualdade total. Se há diferença entre seres é porque algo intrínseco nos seres os diferenciam (princípio individualista) ou porque a sociedade, como dirigidora dos indivíduos (princípio coletivista) assim definiu, então haverá seres com direitos e/ou deveres especiais, diferentes dos demais. Novamente, uma falha de lógica.

O restante do seu comentário é um sem número de jargões e lugares comuns sem absolutamente nenhum sentido, e, portanto, nenhuma chance de se fazer um debate minimamente inteligente.

Abraços

Thales disse…
Olá, André Cavalcante, tudo bem? Gostaria de emendar minha opinião acerca da temática polêmica por você levantada.

Em primeiro lugar, com todo o respeito, achei arrogante e pretensiosa a forma a qual tenta definir ou decidir se "Pode haver espíritas comunistas", pois quem é você ou eu para definirmos quem pode, deve ou é espírita de verdade. Até porque como definido no Evangelho Segundo o Espiritismo "Reconhece-se o verdadeiro espírita pela sua transformação moral, e pelos esforços que faz para dominar suas más inclinações" e acho, portanto, que entrepor ideologias políticas a espirituais seja um grande apequenamento da Doutrina Espírita.

Outro ponto que considero equivocado é você afirmar que o espiritismo seria individualista. O fato de a evolução ocorrer de forma inerente a cada espírito, não faz com que seja individualista. Individualismo remete a ideia de sobrepor o individual ao coletivo... algo que não acontece de forma alguma no espiritismo. A evolução vem justamente do contrário! Sobrepor o coletivo ao individual. Deixarmos para trás nossos egoísmos e ideias mesquinhas. Evoluir apenas por nós mesmos com o intuito de SER mais evoluído não há sentido moral algum, pois a evolução vem da ajuda ao próximo... da caridade. Evidentemente não deixando de lado nossa busca por conhecimento e desenvolvimento moral.

Com relação a parte em que você diz que "Para o comunista, a religião é como um 'ópio do povo'", não condiz. A realidade é que "Para Karl Marx, a religião era o ópio do povo". O comunismo, assim como o capitalismo, segue mudanças e evoluções. Não ficou presa as ideias íntimas de Marx, que, e numa era em que as religiões serviam como segregadoras sociais ainda mais do que são hoje, causando mais divisão que união entre os povos, é perfeitamente compreensível tal pensamento para um cientista materialista.

Por fim, sua última parte "O objetivo do comunismo é a geração de uma nova sociedade e um novo homem, a despeito que os velhos homens e a velha sociedade pereçam na revolução. Já o espiritismo crê na regeneração do homem e propõe o novo homem a partir da transformação moral do homem velho, através de inúmeras reencarnações. A sociedade seria consequência desse homem e dessa transformação. A transformação é moral e não revolução, mas evolução.".
Acho completamente descabida e incoerente. Por que não poderiam haver revoluções na sociedade? No que a lei de reencarnação contradiz isso? Houve outras revoluções lideradas por espíritos mais evoluídos em certos pontos como a Revolução Francesa (busca por direitos iguais, por espíritos encarnados que possuíam maior evolução de senso moral e de justiça), Revolução Industrial (grande avanço tecnológico, por espíritos encanados com maior evolução intelectual), dentre outras inúmeras revoluções que vieram à Terra nesses bilhões de anos de existência. A própria vinda do Mestre Jesus foi uma revolução religiosa/espiritual em nosso Planeta, na qual nos recordou os verdadeiros preceitos divinos que nos permitimos deixar de lado e detrimento do excesso de materialismo. E inclusive as grandes revoluções gerais espirituais, como previsto a data limite, a Terra passará por uma revolução, de planeta de provas e expiações para planeta de regeneração.

Fica aqui um pouco do meu ponto de vista para que não me prolongue demasiadamente.
Mas rogo para que o irmão reflita um pouco mais, considerando alterar o nome do Blog, pois quando se cria um Blog denominado "Sobre Espiritismo" espera-se que nele contenham elucidações à luz da doutrina e não especulações baseadas em opiniões pessoais, até é tudo escrito num tom bastante afirmativo. E isso pode acabar mais por atrapalhar que ajudar quem busca auxílio.
No mais é ótima a iniciativa de trazer ideias e opiniões acerca de temas pouco abordados, e o debate sobre os mesmos, minha ressalva são apenas as anteriores.

Abraço
Anônimo disse…
ACHO BOBAGEM ESSES CONCEITOS! Não é por acaso que os espíritos nos recomendam em não entrar em conflitos partidários.Aliás,o ser humano têm dificuldade de se conectar com DEUS. Achei desnecessário tal dúvida... o cristianismo têm que ser vivenciado em qualquer época e é isso que o espiritismo ensina. Acho que o nível de ignorância sobre o que é comunismo muito grande... deu a impressão que estamos rejeitando,discutindo espiritismo e socialismo. A meu ver,falta mais estudo sobre o assunto.
Anônimo disse…
ESPIRITISMO É UMA DOUTRINA MUITO AMPLA! Só de ensinar que o indivíduo têm que ser cristão,já é um desafio para um ser humano comum.Não gostei de misturar idéias pessoais com os ensinos espíritas,foi imprudente e perigoso.
Anônimo disse…
ACHO QUE VOCÊ ESTÁ UM POUCO CONFUSO,SR AUTOR DO TEXTO. Vale tua intenção no BEM,mas entenda que a TERRA é cheia de gente de tudo quanto tipo. Vejo que tuas opiniões e dos outros são todas VERDADEIRAS;não há contradição, o que precisa ser feito é PRATICAR a VONTADE DE DEUS! Essa é a questão do ser humano: viver a vontade de DEUS. Essa minha opinião!
Anônimo disse…
CUIDADO IRMÃOS EM AFIRMARMOS DETERMINADAS COISAS! Nós estamos num mundo em que precisamos ter noção do que pensamos,sentimos,falamos e fazemos!Nós temos que tomar cuidado, temos que conviver com quem quer que seja,que regime político for,vivermos segundo os ditames de JESUS CRISTO. Estou vendo gente acusando o socialismo...não julguemos. Se jesus cristo estivesse vivo, não teríamos afirmações levianas saindo DELE. ELE sabe que é sempre uma LONGA ESTÓRIA os fatos individuais e coletivos dos seres humanos. Estudemos e entendamos.Foi uma precipitação sua de colocar tema político com espiritismo. A CARIDADE É UM EXERCÍCIO MUITO GRANDE E SIMPLES QUE O SER HUMANO TÊM QUE APRENDER PARA TODA A ETERNIDADE. Opinião minha.
Anônimo disse…
PEÇO AO IRMÃO QUE EDUQUE VOSSA ALMA COM DEUS! Tomemos cuidado com afirmações sem querer precipitadas. Por que não posso ser comunista? Estudo a doutrina há mais de 20 anos seguidos,li mais de 50 livros da doutrina. Afirmo que no ambiente brasileiro,devemos ter cuidado com determinadas afirmações. Vejo que pode ser uma pessoa boa,mas esta um pouco confundido com suas idéias. A temática é enorme:haja página de opiniões. Resumo com uma reflexão: CHICO XAVIER. Como indivíduo,tinha que trabalhar com seu ganha-pão no dia-a-dia;como cristão,agia em nome de JESUS CRISTO,fazendo o BEM,em pensamentos,palavras e atitudes. Não misturemos as coisas,DISCERNIMENTO tenhamos. REZEMOS E NOS RENOVEMOS COM DEUS; UNS COM OS OUTROS, SOMENTE PELO ESPÍRITO DA CARIDADE, DA CARIDADE COM DEUS-JESUS CRISTO-EVANGELHO!
Anônimo disse…
QUANDO O SER HUMANO SE REDIMIR PELO EVANGELHO, O MUNDO SERÁ REDIMIDO PELO EVANGELHO DE JESUS CRISTO. VAMOS PRATICAR O EVANGELHO! ISSO O ESPIRITISMO NOS ENSINA MUITO BEM!
Anônimo disse…
A Parcialidade dos julgamentos feitos sobre os temas dão confusão.
Imparcialidade e justiça andam juntos! Se queremos com lucidez e justiça entendermos um tema tão complexo como socialismo,capitalismo;devemos ter cuidado com nossas "paixões" de interpretações pessoais. Estudemos a história,reflitamos e façamos o melhor.
A palavra espiritismo têm extensa significação de estudo e vivência
Socialismo é a mesma situação! Assuntos sérios como esses jamais devem serem
comentados como se isso fosse torcida organizada de time de futebol. Banalização e leviandade das palavras confunde,deseduca e dependendo do caso,é anti-cristão. Não venhamos em nome do espiritismo plantar mais confusão nas almas do próximo!!!
Anônimo disse…
DITADURA DO...mesma estória dos outros sites não-espíritas. Socialismo é mau e o capitalismo é bom;eis a mentalidade de alguns! Mas acontece que os europeus não fizeram bonito com suas ex-colônias de 1500 ao ano de 2016! Há sérias desigualdades e até hoje há quem queira fugir do assunto com desculpismo. Nessas coisas,temos que prestar mais atenção. A américa latina, àfrica e boa parte da ásia enfrentam problemas sérios.
Devemos prestar atenção quanto ao imperativo de observarmos o EVANGELHO COM MAIS ATENÇÃO. JESUS CRISTO E OS 12 APÓSTOLOS JAMAIS PRATICARIAM ATROCIDADES QUE FORAM FEITAS CONTRA OS POBRES DE TODO O MUNDO. AJUDEMOS COMO JESUS CRISTO NOS AJUDOU QUE TUDO MUDARÁ. E PARAR pelo amor de DEUS de tratar temas tão vitais para a humanidade com indiferência,leviandade e desumanidade.
ORAI E VIGIAI também se aplica nas nossas responsabilidades no que escrevemos e nas mentes que aprendem o que nós ensinamos.
Anônimo disse…
É ANTI-CRISTIANISMO TAMBÉM:
Derrubar floresta amazônica;
ter latifúndio no Brasil;
desigualdade no Brasil;
inexistência da justiça e educação para o povo no Brasil;
racismo;
etc.
Agora o pessoal fica brigando ideologias? VAMOS RESPEITAR DEUS, GENTE!
ESPIRITISMO É LUZ COM DEUS. ILUMINA CAPITALISTA,SOCIALISTA...e qualquer ser humano que precisar de DEUS.
Anônimo disse…
ASSIM COMO JESUS CRISTO NÃO CONDENOU ISRAELITAS OU ROMANOS,NÃO CONDENEMOS CAPITALISMO OU SOCIALISMO. Antes,sejamos apoio para que os 2 ao mesmo tempo pratiquem a BONDADE E A JUSTIÇA tal qual ele nos ensinou. Se o capitalismo tivesse o intento CRISTÃO,teria ajudado urss ao invés de brigar contra ela.
Seria ótimo que fizessem isso imediatamente,enquanto estão encarnados,para o bem do planeta TERRA. E que nós não aumentassémos a lenha na fogueira com nossa falta do saber cristão SOBRE O PODER POLÍTICO NA TERRA. ALERTA CRISTÃO QUE FAÇO.

PAZ Á TODOS.
Anônimo disse…
Olá André,

Apesar do seu grande esforço em desqualificar tudo que eu escrevi, venho até aqui para me dar um último direito a resposta.

Acompanho a visão do Thales quanto a noção de individualismo x coletivismo. O que ele escreveu me contempla bastante a respeito. E também no que diz respeito a você tentar forçar uma opinião espírita a respeito do comunismo, enquanto você na verdade expressa uma análise pessoal.

Você deturpa o que eu digo quando afirmo que "caridade não é doar coisas". O que eu disse faz referência direta ao que foi escrito pro você, no qual a caridade é um conceito muito mais amplo que doar coisas (e entenda como coisas objetos materias - achei que isso seria bem óbvio, mas aparentemente não foi).

Quanto a relação entre individualidade, competição e acumulação. Me perdoe, mas achar que isso é algo apenas de Marx eu indico mais estudo. Isso são conceitos básicos amplamente estudados na gênese da organização social e produtiva, e indico também mais pesquisas na área de antropologia - os estudos etnográficos são ótimos para comparar outras formas de organização as nossas, e além de mostrar como nossa visão de mundo é pequena e restrita, também serve para traçar paralelos de comparação a nossa sociedade em que vivemos.

E também concordo com o que é dito sobre a noção de família. Ela é historicamente/socialmente determinada, como você mesmo exemplificou a respeito de clãs nômades. Mas a noção restrita de propriedade privada é posterior ao exemplo dado, é uma análise bastante anacrônica da história.

O final da sua argumentação se esforça tanto a desqualificar o debate e é de uma análise tão fraca que nem me darei o esforço de rebatê-lo. Mas acho importante nos esforçarmos para superar a noção de família como laços de sangue, e começar a pensar em família todos nós que habitamos e partilhamos da vida na terra.

Achei que aqui seria um espaço legal para um debate, mas me enganei.

Um abraço.
Anônimo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Andre Cavalcante disse…
Olá Thales

"Outro ponto que considero equivocado é você afirmar que o espiritismo seria individualista."

Ah! até que enfim um comentário sobre o que eu postei diretamente e não achismos...

Obrigado mesmo por tentar rebater o que coloquei. Até agora os comentários nesta postagem tem sido ou rechaçando completamente o socialismo/comunismo com argumentos que não coloquei ou simplesmente colocando argumentos em prol do socialismo do tipo "eu não creio que seja isso, por isso não é verdade".

Agora cê colocou coisas para eu pensar e responder. Já havia aberto essa sessão de comentário um certo número de vezes para comentar o teu escrito, no entanto, tudo ficava muito confuso e muito extenso. Aí percebi que o problema central é com a primeira afirmação.

Pois bem, gastei um tempo preparando outra postagem, aí sim, com mais material para debatermos. Sugiro que continues por lá, ok?

Abraços
Anônimo disse…
André Cavalcante,

Qm vos fala é André Luís

Vc está repleto de razão. Compactuamos do mesmo pensamento.
Se Chico Xavier disse q se algo q ele falasse estivesse em contradição com Kardec, q considerássemos Kardec e não ele.
Imagine quais obras eu seguiria, Kardecianas ou kardecistas?!
Kardecianas, é claro!
Agora vou fazer uma analogia q simplificaria a obra marxiana...
Criarei a minha filosofia materialista tbm histórica...
Para o bem da sociedade, no socialismo materialista, faremos a seguinte revolução:
- Tem o dever d qm seguir esta máxima eliminar(fuzilar) todos os egoístas da face da Terra!
- Faz-se necessária a limpeza moral e ética, pois somente assim teremos uma sociedade homogênea p/ o devido final, o comunismo impositivo.
- O devido fim social deve ser impositivo, arbitrário, totalitário, sem chances p/ os egoístas.
- O egoísmo individual não poderá existir, deverá ser forçada a caridade.
- O comunismo materialista jamais cederá ao livre-arbítrio, indivíduos serão caridosos à força, por medo, ou ainda, eliminados os reacionários!
- A evolução civilizatória deve dar 1 sobressalto e jamais ponderar as diferenças individuais, todos devem evoluir com "igualdade" e à força!
- Para finalizar numa única frase, matar os egoístas e a caridade forçada será homogênea!
Rsssssss Como se eu não fosse 1 egoísta querendo matar egoístas p/ a "promoção" d 1 salto evolutivo social q nem mesmo Deus é capaz d tamanho egoísmo!
A meritocracia é algo tão desconstruído pelos sentimentalistas pseudos caridosos q m dá ânsia d vômito. Simplesmente, pq desavisados ou subversivos tratam-na como se fosse exclusividade de abastados. A meritocracia não é exclusividade materialista!
Anônimo disse…
Só existe sociedade pq existem indivíduos!
Se não houvessem indivíduos jamais existiria sociedade.
Então a sociedade jamais será o cerne, pois a causa primária é o indivíduo.
A fonte primária é foco de qlqr discussão, d qlqr ciência.
Pode existir indivíduos sem sociedade?! Pode! E este indivíduo sem a sociedade sobreviverá?!
Talvez não em muitos aspectos, como tempo existencial material, por exemplo.
E a sociedade existiria sem indivíduos?!
Não existiria nem a palavra.
Se tem uma coisa q m irrita é espírita querendo forçar, dar saltos evolutivos, vislumbrando uma sociedade comunizada como se todos pudessem ser como 1 Chico Xavier da noite pro dia, como se milênios pudessem ser arbitrados numa única vida ou em apenas mais alguns séculos.
Tentar se melhorar sempre, mas querer virar Jesus num passe d mágica m dá nos nervos!
1 espírita marxista é o mesmo q alimentar o seu antagonista p/ prevalecer o seu protagonismo hipócrita!

André Luís, meu nome verdadeiro, nada a ver com o grande André Luiz
Anônimo disse…
1 indivíduo moralmente mais evoluído refletirá melhoras sociais muito mais poderosas do q uma sociedade homogenizada à força pela ciência materialista.
Obviamente, num futuro distante teremos o socialismo espiritual q ditará as regras na matéria.
Quem sabe seremos a média ponderada d 1 Chico Xavier.
Anônimo disse…
......ATÉ LÁ, EDUCAÇÃO E RESPEITO COM TODOS KARDECISTAS E demais religiosos,que forem comunistas ou não. Pergunta: por que detestam o comunismo e o socialismo??? não vejo o porquê de lançar a briga entre comunistas e kardecistas! Já digito de novo: RESPONSABILIDADE ESPIRITUAL,André cavalcanti;mais cuidado. Para que jogar LENHA NA FOGUEIRA???Eu acho que você têm que tomar cuidado, DEUS COBRA TAMBÉM pelo o que a gente digita.Não o vejo com domínio sobre o assunto socialismoXespiritismo.
Se é ou não espírita,tome cuidado com o que escreve,que DEUS é JUIZ também daquilo que a gente escreve!!!
Anônimo disse…
O marxismo não é contrário à individualidade, para saber isso bastava ter lido o autor. Marx inclusive faz críticas ao que ele chamava de socialistas primitivos por divulgarem uma espécie de homogeneidade do ser, para ver isso bastava ter lido "Manuscritos econômicos-filosóficos" de 1844. Para Marx a individualidade marca o ser como único e deve ser preservada.

Importante não confundir individualismo com individualidade, ok?

Sobre propriedade, este debate vem de muito tempo, autores liberais como Thomas Paine já se perguntava o que era a propriedade e sua origem. Bom, se nascemos no mesmo Mundo, se somos todos donos deste Mundo, pq alguns tem tanta propriedade e outros nada tem? Acabamos por descobrir que a origem da propriedade é fruto da usurpação, do roubo e da força,, milhões de indivíduos perderam assim o seu direito natural à propriedade.

Liberais sensatos como Paine sugeriram um imposto sobre a terra para amenizar essa violência, já os socialistas sugeriram a socialização (na verdade a origem da propriedade era coletiva, isso em qualquer sociedade, isso tb é descrito por Marx e Engels, ver especialmente "A sagrada família").

É importante frisar que essa propriedade não é a sua casa, seu carro, seu celular... mas sim os meios produtivos, não confunda isso. Marx não quer socializar a sua TV.

Outra coisa ligada ao socialismo (primeira fase) é a igualdade formal, todos devem ter direitos iguais e acesso igual de oportunidade. O socialismo não prega a igualdade material (e repito, tb não prega a anti-individualidade), para Marx, no socialismo cada trabalhador deverá receber conforme produz, se colocando contra a igualdade material que muitos acham que ele pregava (para ver isso leia "Crítica ao Programa de Gotha").

Apenas no comunismo, com a expansão das forças produtivas pode-se chegar ao ideal final: de cada um de acordo com a sua habilidade, a cada um de acordo com a sua necessidade.

Então voltando.

O marxismo é contra a individualidade? Não.

O marxismo que dividir bens? Não.

No marxismo todos devem ganhar igual? Não.

Deixei as fontes no texto para que vc possa pesquisar posteriormente e entender um pouco mais de Marx. É difícil falar de Marx sem tê-lo lido.
Andre Cavalcante disse…
Olá Anônimo:

Vou assumir que se trata do mesmo Anônimo, porque comentários foram emitidos muito próximos um do outro. Perdoe se forem pessoas diferentes.
Outra coisa, vou quebrar o comentário em vários pedaços.

Teço meus comentários:

"ACHO BOBAGEM ESSES CONCEITOS! Não é por acaso que os espíritos nos recomendam em não entrar em conflitos partidários."

Não, não são bobagem. Em geral, um dos grandes problemas humanos é não nos entendermos. E não, os Espíritos não nos recomendam entrar em "conflitos partidários", mas em nos entendermos, justamente no conceitos.

L.E.: Questão 28. Pois que o espírito é, em si, alguma coisa, não seria mais exato e menos sujeito a confusão dar aos dois elementos gerais as designações de matéria inerte e matéria inteligente?
Resposta: “As palavras pouco nos importam. Compete-vos a vós formular a vossa linguagem de maneira a vos entenderdes. As vossas controvérsias provêm, quase sempre, de não vos entenderdes acerca dos termos que empregais, por ser incompleta a vossa linguagem para exprimir o que não vos fere os sentidos.”


"Aliás,o ser humano têm dificuldade de se conectar com DEUS. Achei desnecessário tal dúvida... o cristianismo têm que ser vivenciado em qualquer época e é isso que o espiritismo ensina."

Ok.

"Acho que o nível de ignorância sobre o que é comunismo muito grande... deu a impressão que estamos rejeitando,discutindo espiritismo e socialismo. A meu ver,falta mais estudo sobre o assunto."

Sim. A maioria dos espíritas desconhece os próprios princípios espíritas; a maioria dos socialistas desconhecem o que é o socialismo.

"ESPIRITISMO É UMA DOUTRINA MUITO AMPLA!"

Na verdade não é tão amplo assim, são somente 5 princípios básicos e 3 leis gerais. Mas concordo que as repercussões desses princípios são estupendas.

"Só de ensinar que o indivíduo têm que ser cristão,já é um desafio para um ser humano comum."

Ok.


"Não gostei de misturar idéias pessoais com os ensinos espíritas,foi imprudente e perigoso."

Não entendi. Quais ideias pessoais e quais os ensinos espíritas vc acha que misturou?
Andre Cavalcante disse…
--- CONTINUAÇÃO ---

"ACHO QUE VOCÊ ESTÁ UM POUCO CONFUSO,SR AUTOR DO TEXTO. Vale tua intenção no BEM,mas entenda que a TERRA é cheia de gente de tudo quanto tipo. Vejo que tuas opiniões e dos outros são todas VERDADEIRAS;não há contradição, o que precisa ser feito é PRATICAR a VONTADE DE DEUS! Essa é a questão do ser humano: viver a vontade de DEUS. Essa minha opinião!"

O texto que escrevi não tem nada a ver com isso. Quanto a "PRATICAR a VONTADE DE DEUS!" cai no problema que o Kardec já colocou quando discorreu sobre a salvação: "quem pode dizer qual é a vontade de Deus?"


"CUIDADO IRMÃOS EM AFIRMARMOS DETERMINADAS COISAS! Nós estamos num mundo em que precisamos ter noção do que pensamos,sentimos,falamos e fazemos!Nós temos que tomar cuidado, temos que conviver com quem quer que seja,que regime político for, vivermos segundo os ditames de JESUS CRISTO."

Numa hora é vivermos a vontade de Deus, noutra é segundo os ditames de Jesus. Decida-se. Assumindo a última hipótese, lembrar que Jesus foi um ferrenho contendendor dos vícios de seu tempo e era frontalmente contra o partido majoritário de então, os Fariseus (ver Introdução de O Evangelho Segundo o Espiritismo). Acho que fico com Kardec nessa: se um partido tem ideias contrárias à Lei de Justiça, Amor e Caridade, sou contra.


"Estou vendo gente acusando o socialismo...não julguemos. Se jesus cristo estivesse vivo, não teríamos afirmações levianas saindo DELE. ELE sabe que é sempre uma LONGA ESTÓRIA os fatos individuais e coletivos dos seres humanos. Estudemos e entendamos.Foi uma precipitação sua de colocar tema político com espiritismo."


Uai, porque precipitado? Procurei na Internet e há várias postagens similares. Outra coisa, não julguei o socialismo como um tema político. Coloquei alguns princípios que norteiam o socialismo e os comparei com alguns princípios espíritas. Só isso. Seu comentário até agora, não rebateu nenhum dos argumentos apresentados.


"A CARIDADE É UM EXERCÍCIO MUITO GRANDE E SIMPLES QUE O SER HUMANO TÊM QUE APRENDER PARA TODA A ETERNIDADE. Opinião minha."

Ok.


"PEÇO AO IRMÃO QUE EDUQUE VOSSA ALMA COM DEUS! Tomemos cuidado com afirmações sem querer precipitadas. Por que não posso ser comunista?"

Disse que é incoerente ter-se um espírita comunista. Você pode ser o que quiser, mas, se é espírita, é INCOERENTE de sua parte também ser comunista.


"Estudo a doutrina há mais de 20 anos seguidos,li mais de 50 livros da doutrina. Afirmo que no ambiente brasileiro,devemos ter cuidado com determinadas afirmações."

Uai, porque somente no ambiente brasileiro? Não entendi a ilação.


"Vejo que pode ser uma pessoa boa,mas esta um pouco confundido com suas idéias."

Especificamente, quais ideias achas confusas?


"A temática é enorme:haja página de opiniões. Resumo com uma reflexão: CHICO XAVIER. Como indivíduo,tinha que trabalhar com seu ganha-pão no dia-a-dia;como cristão,agia em nome de JESUS CRISTO,fazendo o BEM,em pensamentos,palavras e atitudes."

Não encontrei tal citação de Chico Xavier, mas concordo com ela em toda sua profundidade.

Andre Cavalcante disse…
--CONTINUAÇÃO --

"Não misturemos as coisas,DISCERNIMENTO tenhamos. REZEMOS E NOS RENOVEMOS COM DEUS; UNS COM OS OUTROS, SOMENTE PELO ESPÍRITO DA CARIDADE, DA CARIDADE COM DEUS-JESUS CRISTO-EVANGELHO!
QUANDO O SER HUMANO SE REDIMIR PELO EVANGELHO, O MUNDO SERÁ REDIMIDO PELO EVANGELHO DE JESUS CRISTO. VAMOS PRATICAR O EVANGELHO! ISSO O ESPIRITISMO NOS ENSINA MUITO BEM!"

"A Parcialidade dos julgamentos feitos sobre os temas dão confusão.
Imparcialidade e justiça andam juntos! Se queremos com lucidez e justiça entendermos um tema tão complexo como socialismo,capitalismo;devemos ter cuidado com nossas "paixões" de interpretações pessoais."

Por favor, aponte no meu texto o que foi que coloquei de tão parcial sobre o espiritismo?

"Estudemos a história,reflitamos e façamos o melhor. A palavra espiritismo têm extensa significação de estudo e vivência"

OK.

"Socialismo é a mesma situação!"

Socialismo está na mesma situação do Espiritismo? É uma religião, então? Não deve comentado nem discutido? Dogma? Oras, tal coisa nem o Espiritismo, que é uma religião, coloca para si mesmo. Aliás, ao contrário, Kardec colocou no frontispício de O Evangelho Segundo o Espiritismo que "Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da Humanidade".
Então, ao contrário do que você colocou, sim, não somente é possível discutir o tema, como é até estimulado que o façamos.

"Assuntos sérios como esses jamais devem serem comentados como se isso fosse torcida organizada de time de futebol. Banalização e leviandade das palavras confunde,deseduca e dependendo do caso,é anti-cristão. Não venhamos em nome do espiritismo plantar mais confusão nas almas do próximo!!!"

Torcida organizada de futebol? Mostre no meu texto tal coisa? Confusão?

"DITADURA DO...mesma estória dos outros sites não-espíritas. Socialismo é mau e o capitalismo é bom;eis a mentalidade de alguns! Mas acontece que os europeus não fizeram bonito com suas ex-colônias de 1500 ao ano de 2016! Há sérias desigualdades e até hoje há quem queira fugir do assunto com desculpismo. Nessas coisas,temos que prestar mais atenção. A américa latina, àfrica e boa parte da ásia enfrentam problemas sérios."

Não entedi. Não discuti em nenhum instante, no texto o capitalismo. Nem tampouco a América Latina ou África.

"Devemos prestar atenção quanto ao imperativo de observarmos o EVANGELHO COM MAIS ATENÇÃO. JESUS CRISTO E OS 12 APÓSTOLOS JAMAIS PRATICARIAM ATROCIDADES QUE FORAM FEITAS CONTRA OS POBRES DE TODO O MUNDO. AJUDEMOS COMO JESUS CRISTO NOS AJUDOU QUE TUDO MUDARÁ."

Uai, e eu fiz isso?

"E PARAR pelo amor de DEUS de tratar temas tão vitais para a humanidade com indiferência,leviandade e desumanidade."

Por favor, indique no meu texto, onde trato o Espiritismo com indiferença, leviandade e desumanidade?

"ORAI E VIGIAI também se aplica nas nossas responsabilidades no que escrevemos e nas mentes que aprendem o que nós ensinamos."
Andre Cavalcante disse…
-- CONTINUAÇÃO --

"É ANTI-CRISTIANISMO TAMBÉM:
Derrubar floresta amazônica;
ter latifúndio no Brasil;
desigualdade no Brasil;
inexistência da justiça e educação para o povo no Brasil;
racismo;
etc.
Agora o pessoal fica brigando ideologias? VAMOS RESPEITAR DEUS, GENTE!
ESPIRITISMO É LUZ COM DEUS. ILUMINA CAPITALISTA,SOCIALISTA...e qualquer ser humano que precisar de DEUS."

Em nenhum momento citei qualquer coisa que pudesse ser classificada como anti-cristianismo (o que quer que isso signifique)
De resto você está colocando temas que mereceriam outras postagens.


"ASSIM COMO JESUS CRISTO NÃO CONDENOU ISRAELITAS OU ROMANOS"

Ooops, condenou alguns Israelitas e alguns Romanos sim: os Fariseus eram, por Jesus, e com acerto, chamados de hipócritas.
Já os romanos, basta acompanhar as narrações do seu julgamento. Mas Jesus não os condenou porque eram Israelitas ou Romanos, mas porque eram hipócritas, mentirosos, orgulhosos, etc.

"NÃO CONDENEMOS CAPITALISMO OU SOCIALISMO. Antes,sejamos apoio para que os 2 ao mesmo tempo pratiquem a BONDADE E A JUSTIÇA tal qual ele nos ensinou. Se o capitalismo tivesse o intento CRISTÃO,teria ajudado urss ao invés de brigar contra ela.
Seria ótimo que fizessem isso imediatamente,enquanto estão encarnados,para o bem do planeta TERRA. E que nós não aumentassémos a lenha na fogueira com nossa falta do saber cristão SOBRE O PODER POLÍTICO NA TERRA. ALERTA CRISTÃO QUE FAÇO."

Não condenei o capitalismo ou socialismo. Só disse que, um espírita, bem consciente dos princípios básicos do espiritismo, se torna incoerente de tentar ser, também, comunista. Só isso. Isso não é fazer do tema uma partidade de futebol ou uma partida política. Não é não ser cristão.
Se quiser discutir algo neste sentido, mostrando o que eu estou errado, ok. Se não, pra que discutir?


"PAZ A TODOS."

Paz

Andre Cavalcante disse…

Anônimo Anônimo disse...

......ATÉ LÁ, EDUCAÇÃO E RESPEITO COM TODOS KARDECISTAS E demais religiosos,que forem comunistas ou não. Pergunta: por que detestam o comunismo e o socialismo??? não vejo o porquê de lançar a briga entre comunistas e kardecistas! Já digito de novo: RESPONSABILIDADE ESPIRITUAL,André cavalcanti;mais cuidado. Para que jogar LENHA NA FOGUEIRA???Eu acho que você têm que tomar cuidado, DEUS COBRA TAMBÉM pelo o que a gente digita.Não o vejo com domínio sobre o assunto socialismoXespiritismo.
Se é ou não espírita,tome cuidado com o que escreve,que DEUS é JUIZ também daquilo que a gente escreve!!!

14 de março de 2017 16:05

Deculpe-me mas o teu comentário me deixou quase rindo. Só faltou dizer que Deus vai me dar palmadas. Lembrei-me de minha mãe, católica fervorosa, a dizer tais coisas quando aprontávamos quando crianças. Obrigado por me lembrar de uma fase boa na minha vida...

Mas vamos aos meus comentários sobre o que colocaste:

"ATÉ LÁ, EDUCAÇÃO E RESPEITO COM TODOS KARDECISTAS E demais religiosos,que forem comunistas ou não."

Nada tenho contra religiosos comunistas. Nem mesmo espíritas. Só disse e repito. É incoerente ser um e outro ao mesmo tempo. Mas incoerência é algo bem comum nos dias de hoje.

"não vejo o porquê de lançar a briga entre comunistas e kardecistas! Já digito de novo: RESPONSABILIDADE ESPIRITUAL,André cavalcanti;mais cuidado. Para que jogar LENHA NA FOGUEIRA???"

Não lancei briga de nada. Aliás, os comentaristas é que estão muito mais exaltados do que eu nesta matéria.

Abraços


Andre Cavalcante disse…
Anônimo disse...

" Olá André,"

Olá

" Apesar do seu grande esforço em desqualificar tudo que eu escrevi, venho até aqui para me dar um último direito a resposta."

Não tenho intenção de desqualificar ninguém, apenas debater em um sessão de comentário de um simples blog. Desculpe-me se pareceu. Eu sempre quoto as frases das pessoas que comento.


"Acompanho a visão do Thales quanto a noção de individualismo x coletivismo. O que ele escreveu me contempla bastante a respeito."

Já fiz um post novo sobre esse ponto específico. Diga lá a sua opinião.


"E também no que diz respeito a você tentar forçar uma opinião espírita a respeito do comunismo, enquanto você na verdade expressa uma análise pessoal."

Fiz uma análise de alguns princípios espíritas e fiz um contraponto com alguns "princípios" comunistas. Mais ainda, fiz questão de frisar que há espíritas que se consideram comunistas e que acreditam na causa comunista. Acredito que não forcei a opinião espírita quanto a isso, mas concordo que é toda subjetiva a interpretação.


"Você deturpa o que eu digo quando afirmo que "caridade não é doar coisas". O que eu disse faz referência direta ao que foi escrito pro você, no qual a caridade é um conceito muito mais amplo que doar coisas (e entenda como coisas objetos materias - achei que isso seria bem óbvio, mas aparentemente não foi)."

Só falei de caridade no meio de comentários. E repito, caridade, para o ser, deve ser feita por indivíduos. Seja para doar coisas (como colocas) ou para doar a si mesmo. Se alguém dá algo que seja propriedade coletiva, não é caridade, por definição!


"Quanto a relação entre individualidade, competição e acumulação. Me perdoe, mas achar que isso é algo apenas de Marx eu indico mais estudo."

Nunca disse que individualidade, competição e acumulação eram "apenas" de Marx. Disse, em um mero comentário (e não no post), em 2013 (4 anos atrás) que o materialismo junto com a não-propriedade eram de Marx.


"Isso são conceitos básicos amplamente estudados na gênese da organização social e produtiva, e indico também mais pesquisas na área de antropologia - os estudos etnográficos são ótimos para comparar outras formas de organização as nossas, e além de mostrar como nossa visão de mundo é pequena e restrita, também serve para traçar paralelos de comparação a nossa sociedade em que vivemos."

Ok. Obrigado pelas indicações. Costumo ler várias coisas de antropologia e sociedade.


"E também concordo com o que é dito sobre a noção de família. Ela é historicamente/socialmente determinada, como você mesmo exemplificou a respeito de clãs nômades. Mas a noção restrita de propriedade privada é posterior ao exemplo dado, é uma análise bastante anacrônica da história."

Primeiro as famílias eram nômades. Depois elas se tornaram sedentárias. Para o processo de sedentarismo, a terra teve que passar por um processo de apropriação, portanto o nascimento da propriedade privada é concomitante com o surgimento das clãs e tribos sedentárias. As coletividades humanas somente puderam se estabelecer a partir da noção de propriedade privada. Não creio que seja "fora da cronologia" ou que "destoa da época a que se atribui".


"O final da sua argumentação se esforça tanto a desqualificar o debate e é de uma análise tão fraca que nem me darei o esforço de rebatê-lo. Mas acho importante nos esforçarmos para superar a noção de família como laços de sangue, e começar a pensar em família todos nós que habitamos e partilhamos da vida na terra."

Exatamente qual comentário lhe parece isso? Naquele de 2013, encerrei com uma citação de Kardec, então não creio que seja daquele comentário que estás te referindo.


"Achei que aqui seria um espaço legal para um debate, mas me enganei."
Procuro sempre criar um espaço para o debate. Mas lembre-se que, em um debate, nem sempre vais ler algo que te agrade.

Abraços
Anônimo disse…
Melhor seguirmos á JESUS CRISTO.Sejamos BONS E JUSTOS,COMO BOM E JUSTO DEUS É!
Sejamos PERFEITOS, como PERFEITO é o PAI CELESTIAL. Esse seja nosso objetivo CRISTÃO na vida sempre.
Anônimo disse…
DEUS É NOSSO PAI!

Postagens mais visitadas deste blog

Libertarianismo e Espiritismo

Frase: "O mundo espiritual é formado de antimatéria".